icons.title signature.placeholder Guilherme Gomes
08/11/2014
15:59

Com dois superfavoritos, seis tenistas lutando por um lugar ao sol e uma grande ausência, começam neste domingo, em Londres, as Finais da ATP, torneio que reúne os oito melhores jogadores de simples e as oito melhores duplas do ano.
Nas simples, serão dois reis e seis valetes. Sem a presença de Rafael Nadal, que teve de se submeter a uma cirurgia de apêndice na semana passada, Djokovic, líder da temporada, e Roger Federer, maior vencedor da história do torneio, largam como franco favoritos.
Junto a eles estão três estreantes (o japonês Kei Nishikori, o croata Marin Cilic e o canadense Milos Raonic) e três jogadores que já chegaram, no máximo, às semifinais do evento (o britânico Andy Murray, o suíço Stan Wawrinka e o tcheco Tomas Berdych).
Além de reunir a nata do esporte, este é o único torneio da temporada disputado em sistema de grupos. Os tenistas são divididos em duas chaves de quatro e se enfrentam dentro do grupo. Os dois melhores de cada chave fazem as semifinais, de onde saem os finalistas.

No grupo A, estão Djokovic, Wawrinka, Berdych e Cilic. No grupo B ficaram Federer, Nishikori, Murray e Raonic.

Apesar de Federer ser o maior vencedor do torneio, com seis conquistas em 12 aparições, o homem a ser batido nesta edição é o sérvio Novak Djokovic. Além de ser o líder disparado do ranking da temporada, Djokovic carrega uma invencibilidade de 27 jogos em quadras cobertas e vem de sua vigésima conquista de um Masters 1000, desta vez em Paris, na semana passada.

"Me encoraja o fato de eu ter jogado tão bem em Paris e de ter vencido os quatro últimos torneios indoor que disputei nos últimos dois anos", disse Djokovic. Sua última derrota nessse tipo de torneio aconteceu dois anos atrás para Sam Querrey, na primeira rodada de Paris Bercy.

Em grande fase, o sérvio também luta por um raro tricampeonato seguido. A última vez que isso aconteceu foi há 27 anos, quando o tcheco Ivan Lendl venceu o Masters (como as Finais eram chamadas) de 85 a 87, quando o evento era realizado em Nova York. O maior obstáculo para Djokovic? Provavelmente o suíço Roger Federer, maior ganhador do Finals com seis conquistas.