icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
08/07/2013
08:05

Brasil tetracampeão da Copa das Confederações, seleção espanhola humilhada, Neymar destaque internacional e Luiz Felipe Scolari, mais uma vez, em alta com a torcida brasileira.

Mas e o Brasileirão? A competição voltou após longo período de pausa. E o grande jogo “pós-ressaca” não poderia ter sido outro: Fluminense, dos campeões Diego Cavalieri, Jean e Fred, contra o Botafogo, de Jefferson, na Itaipava Arena Pernambuco, palco de três jogos do torneio internacional (Espanha 2 x 1 Uruguai, Itália 4 x 3 Japão e Uruguai 8 x 0 Taiti).

Mesmo com quatro selecionáveis em campo, quem brilhou foi Seedorf. Sempre ele. Mais do que fazer o gol da vitória (1 a 0), o craque holandês colocou o Fogão na liderança.

Na Itaipava Arena Fonte Nova, que também recebeu partidas da Copa, Alexandre Pato, preterido por Felipão, desencantou contra o Bahia, fez dois gols e garantiu a primeira vitória (2 a 0) fora de casa do Corinthians.

Mesmo com a forte neblina em Caxias do Sul, o futebol do Internacional não desapareceu e a equipe gaúcha atropelou o Vasco por 5 a 3. O atacante uruguaio Forlán, que não brilhou na Copa das Confederações, fez um belíssimo gol.

No Morumbi não teve neblina. E não teve um público decente também. Apenas 12 mil torcedores acompanharam a vitória do Santos por 2 a 0 em cima do São Paulo.

No duelo entre Flamengo e Coritiba, no Mané Garrincha, estádio que recebeu o primeiro jogo do Brasil na Copa das Confederações (vitória por 3 a 0 em cima do Japão), destaque para a estreia de Mano Menezes no comando do time carioca. Antecessor de Felipão na Seleção Brasileira, o treinador conseguiu arrancar um empate (2 a 2) com o ex-líder Coxa.

E, por falar em liderança, o Vitória perdeu a chance de terminar a rodada na ponta. Os baianos tropeçaram por 1 a 0 para os goianos, que deixaram a zona de rebaixamento. Ainda na parte da baixo da tabela, o Atlético-PR apenas empatou (1 a 1) com Grêmio. Outro empate aconteceu no Canindé: Portuguesa 1 x 1 Cruzeiro.

Já o Atlético-MG, com o triunfo por 3 a 2 diante do Criciúma, também deu adeus à degola. Porém, o mesmo não pode ser dito do Náutico. Na Arena Pernambuco, o Timbu perdeu por 3 a 1 para a Ponte e, com isso, fica com na lanterna.

Brasil tetracampeão da Copa das Confederações, seleção espanhola humilhada, Neymar destaque internacional e Luiz Felipe Scolari, mais uma vez, em alta com a torcida brasileira.

Mas e o Brasileirão? A competição voltou após longo período de pausa. E o grande jogo “pós-ressaca” não poderia ter sido outro: Fluminense, dos campeões Diego Cavalieri, Jean e Fred, contra o Botafogo, de Jefferson, na Itaipava Arena Pernambuco, palco de três jogos do torneio internacional (Espanha 2 x 1 Uruguai, Itália 4 x 3 Japão e Uruguai 8 x 0 Taiti).

Mesmo com quatro selecionáveis em campo, quem brilhou foi Seedorf. Sempre ele. Mais do que fazer o gol da vitória (1 a 0), o craque holandês colocou o Fogão na liderança.

Na Itaipava Arena Fonte Nova, que também recebeu partidas da Copa, Alexandre Pato, preterido por Felipão, desencantou contra o Bahia, fez dois gols e garantiu a primeira vitória (2 a 0) fora de casa do Corinthians.

Mesmo com a forte neblina em Caxias do Sul, o futebol do Internacional não desapareceu e a equipe gaúcha atropelou o Vasco por 5 a 3. O atacante uruguaio Forlán, que não brilhou na Copa das Confederações, fez um belíssimo gol.

No Morumbi não teve neblina. E não teve um público decente também. Apenas 12 mil torcedores acompanharam a vitória do Santos por 2 a 0 em cima do São Paulo.

No duelo entre Flamengo e Coritiba, no Mané Garrincha, estádio que recebeu o primeiro jogo do Brasil na Copa das Confederações (vitória por 3 a 0 em cima do Japão), destaque para a estreia de Mano Menezes no comando do time carioca. Antecessor de Felipão na Seleção Brasileira, o treinador conseguiu arrancar um empate (2 a 2) com o ex-líder Coxa.

E, por falar em liderança, o Vitória perdeu a chance de terminar a rodada na ponta. Os baianos tropeçaram por 1 a 0 para os goianos, que deixaram a zona de rebaixamento. Ainda na parte da baixo da tabela, o Atlético-PR apenas empatou (1 a 1) com Grêmio. Outro empate aconteceu no Canindé: Portuguesa 1 x 1 Cruzeiro.

Já o Atlético-MG, com o triunfo por 3 a 2 diante do Criciúma, também deu adeus à degola. Porém, o mesmo não pode ser dito do Náutico. Na Arena Pernambuco, o Timbu perdeu por 3 a 1 para a Ponte e, com isso, fica com na lanterna.