icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/12/2013
10:17

O Monaco foi alvo de uma decisão desfavorável na França nesta sexta-feira. Os deputados do país decidiram que o clube do magnata russo Dmitry Rybolovlev vai estar sujeito aos mesmo impostos que todas as equipes do Campeonato Francês, o que não acontecia até agora, já que o time pertence a outro país e estava protegido por outro estatuto legal.

A situação permitia ao Monaco pagar altos salários e não precisar ter os mesmos impostos que o Paris Saint-Germain, por exemplo, o outro clube milionário da França. Desta forma, ficou definido que as taxas vão estar em 75% dos rendimentos anuais acima de 1 milhão de euros (R$ 3,2 milhões).

- Trata-se de reestabelecer a paridade esportiva entre clubes franceses e o Monaco, que embora participe da Liga, não está estabelecido na França - disse a deputada Annick Girardin.

Esta taxa, que foi uma promessa do presidente François Hollande, que até provocou uma ameaça de greve dos clubes da França. Porém, o Monaco estava protegido por estar fora. A iniciativa deve render 44 milhões de euros (R$ 140 milhões) aos cofres públicos. Na última janela de transferências, os monegascos gastaram cerca de 160 milhões de euros (R$ 512 milhões) e levaram craques como Falcao García e James Rodríguez.