icons.title signature.placeholder Luiz Felipe Fogaça
10/07/2014
18:08

Semifinal de Copa do Mundo, a Holanda com um bom time e uma das suas melhores campanhas em Copa do Mundo. Um empate no tempo normal e na prorrogação, com derrota nos pênaltis por 4 a 2. Abatimento, desolação, desânimo e no dia seguinte um técnico irritado, desapontado, que pouco se interessa pela disputa de terceiro lugar que está por vir. Engana-se quem pensa que a história acima é dos últimos dias. O filme é antigo e já aconteceu em 1998.

Assim como aconteceu neste ano, em 1998, na Copa da França a Holanda amargou uma derrota nos penâltis na semifinal, também pelo placar de 4 a 2 para uma equipe sul-americana. Na ocasião o Brasil, agora a Argentina. E as semelhanças não param por ai. Naquela época, o técnico Guus Hiddink, comandante laranja, mostrou toda sua frustação com a disputa de terceiro lugar. O mesmo comportamento do atual treinador, Van Gaal, com o confronto do próximo sábado, no Mané Garrincha, em Brasília, às 17h.

- Ninguém está fazendo questão de sair da Copa como terceiro colocado. Nunca pensamos que isso aconteceria e nem queríamos isso. Brigamos pelo título inédito - disse Hiddink na ocasião. Neste ano foi a vez de Van Gaal usar o mesmo discurso.

- O pior de tudo, na minha opinião, é que você tem a possibilidade de perder duas vezes, e, em um torneio que você fez excelente campanha, acaba indo embora como perdedor. Enfim, já digo isso há 15 anos. Nas etapas finais de um torneio, os jogadores não deveriam jogar pelo terceiro lugar, porque só há um prêmio, que é o de ser campeão - argumentou na última quarta-feira.

Do outro lado, os brasileiros de 2014 lembram os croatas, adversário de 1998, e encaram a disputa como uma forma de minimizar a perda do título e encerrar o torneio de maneira digna. Fato que fica claro nas palavras de Felipão.

- A Copa não acabou ainda. Agora vamos trabalhar para montar o time para o jogo de sábado, que também passa ser importante para nós. Um novo sonho que temos: terminar a Copa em terceiro lugar - falou o comandante brasileiro. Enquanto Miroslav Blazevic, técnico croata em 1998 garantiu - Vamos fechar este Mundial com chave de ouro, sabendo que podemos pensar em atingir vôos mais altos - antes do jogo com a Holanda.

Em 1998, a Holanda perdeu para a Croácia por 2 a 1 e saiu com o quarto lugar do Mundial da França. Será que o filme se repete em 2014?