icons.title signature.placeholder Thiago Ferri
12/11/2013
14:34

Foi lançado nesta terça-feira, em São Paulo (SP), o filme "Santo Marcos", que conta a trajetória do ex-goleiro do Palmeiras e um dos maiores ídolos do clube. O evento contou com a presença do pentacampeão mundial, sua esposa, Sônia, o filho mais novo, Marcos Vinícius, além de membros da Contém Conteúdo, produtora do documentário, que estreia nos cinemas dia 22 de novembro.

Pelo Verdão, o presidente Paulo Nobre, que tem participação no filme, estava previsto para aparecer, mas o clube foi representado por Maurício Precivalle, vice alviverde, e o diretor remunerado de marketing, Marcelo Giannubilo. Enquanto o primeiro saiu do local logo após o término da apresentação do filme aos jornalistas, um dos líderes do marketing palmeirense ainda esperou a entrevista de Marcos terminar para falar com o ex-goleiro. Ele, porém, disse não poder conceder entrevistas.

Antes de o documentário ser mostrado, Marcos mostrava-se tenso, pois ainda não tinha visto a produção terminada. Com discurso modesto, ele reafirmou que inicialmente não gostaria de ter um filme em sua homenagem.

- Eu não vi nada ainda, achava até um exagero, porque eu não me acho nem o maior goleiro do Palmeiras, muito menos do Brasil. Pessoal foi achando que a torcida iria gostar, vamos ver como ficou - afirmou.

No começo da exibição, o ex-camisa 12 se inclinava para frente na cadeira, analisando os depoimentos e histórias relatadas sobre ele, desde sua vida em Oriente (SP). São mais de 40 pessoas que ajudam a montar a trajetória do ídolo palmeirense, entre elas: os ex-atacantes Ronaldo e Romário, Neymar, Oberdan Cattani, Velloso, Luiz Felipe Scolari, Leão, Carlos Pracidelli (seu preparador de goleiros no Verdão), Vampeta, Marcelinho Carioca, Rogério Ceni, Ademir da Guia, Edmundo, o ministro Aldo Rebelo, o presidente da CBF, José Maria Marin, e seu vice, Marco Polo Del Nero, o cantor Sérgio Reis, além de jornalistas esportivos e parte de sua família, como a mãe, Dona Antônia.

Marcos teve diversas reações ao ver o desenrolar do documentário, de 1h12 (tempo definido de maneira proposital). Via atento aos lances importantes de sua carreira, assim como as falhas, e entrevistas polêmicas que marcaram os seus 20 anos de Palmeiras. No fim, ao ver a fala de um torcedor, emocionado ao falar sobre ele e sua relação com o Palmeiras, o ex-jogador não se segurou e precisou enxugar algumas lágrimas.

- Fiquei emocionado com as partes de contusão, a família, momentos difíceis que sofremos no começo da carreira, depois tudo que tivemos de fazer para voltar a jogar, quando torcida grita meu nome até hoje. Literalmente passa filme pela cabeça dos sacrifícios que fiz. Só agradeço pelo filme. Não queria só com as coisas boas, porque tem as ruins. Teve tudo, frango, falha, contusão e coisas boas - completou.

No dia 22 de novembro, o documentário entra em cartaz no espaço Itaú de cinema, em São Paulo (SP); nas salas da Cinépolis em Ribeirão Preto (SP) e Campinas (SP); além de Londrina e Maringá, ambas no Paraná, na rede Cineflix. Um dia depois, o Cinemark terá uma sessão especial, às 12h12, nos shoppings Higienópolis, Santa Cruz, Eldorado e Mooca - horário escolhido pela camisa que consagrou Marcos. Na internet, já começou a pré-venda do documentário, por R$ 39,90. Estes chegam às lojas a partir do dia 10 de dezembro. Serão colocados inicialmente 30 mil DVDs à venda.