icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
30/03/2014
18:21

Na tarde desse domingo o torcedor catarinense assistiu a um clássico eletrizante no estádio Heriberto Hulse. Além da grande rivalidade regional, em campo Criciúma e Figueirense disputavam uma vaga na grande final contra o Joinville. Com a vitória por três a dois o Figueirense vai à final com a vantagem de fazer o segundo jogo em casa.

O torcedor do Tigre lotou as arquibancadas e fez a sua parte na festa, com mais de dez mil pessoas empurrando o time. Visitante, o vice-líder alvinegro jogava pelo empate para passar enquanto ao Criciúma somente os três pontos levariam o time para a final.

O JOGO

Logo no início do jogo o Criciúma criou chances tabelando em velocidade e buscando a linha de fundo. Gustavo testou o goleiro Tiago Volpi com uma bomba logo aos cinco minutos. Devido a importância da partida o jogo ficou muito travado no meio campo com forte marcação de ambas as equipes.

Mas aos dez minutos a jogada que mudou a partida começou no escanteio mal cobrado por Paulo Baier. No contra-ataque rápido do Figueirense o goleiro Galatto fez o pênalti, Ricardo Bueno bateu com força no canto e abriu o placar para o Figueira. Com o gol o time do Figueirense passou a tocar a bola com facilidade enquanto o Tigre sentiu a pressão de ter que buscar a virada.

Na jogada seguinte o time alvinegro ficou mais próximo da final. Depois do lançamento de trivela de Marquinhos Pedroso, Ricardo Bueno não teve dificuldade para fazer o segundo. O camisa nove bateu forte e Galatto nada pode fazer.

Depois do segundo tento recebido a torcida do Criciúma perdeu a paciência com a sua equipe. Em campo o time se perdeu completamente, errando muitos passes e cometendo faltas.

Aos trinta minutos Everton Santos teve a chance do terceiro mas parou em Galatto após belo lançamento de Marcos Assunção. No lance seguinte Paulo Baier cobrou falta com perfeição que explodiu na trave, no rebote Lucca ainda completou pro gol mas Dudu salvou em cima da linha.

SEGUNDO TEMPO

Na volta para o segundo tempo o time do Tigre aumentou a velocidade da troca de passes e Paulo Baier aumentou o volume de jogo da equipe no meio campo. Logo aos três minutos Paulo Baier sofreu pênalti que ele mesmo bateu e diminuiu para o Tigre. O gol aumentou a esperança do Tigre conseguir a virada.

Enquanto isso o time do Figueirense recuou, ciente que o resultado era favorável, esperando os contra-ataques para matar o jogo. O plano deu resultado, em tabela rápida pela linha de fundo Luan praticamente fechou a classificação. O camisa dois fez boa tabela com Dudu invadiu a área e bateu forte cruzado e no canto, sem chance para Galatto.

Logo após o gol foi possível ver alguns torcedores do Criciúma indo embora do estádio revoltados. Mas o time do Tigre não desistiu e cinco minutos depois fez alguns torcedores voltarem para assitir o final eletrizante. Em falta na lateral da área, Lucca bateu forte e Volpi não conseguiu fazer a defesa.

Mesmo com o segundo gol o Criciúma não teve mais tempo para buscar a virada. Em jogo muito disputado o Figueirense saiu vencedor com a vitória fora de casa por três a dois.

No outro jogo da rodada o já eliminado Metropolitano empatou com o Joinville no estádio SESI. Com o empate o time de Joinville perdeu a liderança e a vantagem na final para o time do Figueirense.

Hexagonal

Enquanto isso o hexagonal do rebaixamento ainda está longe do seu final. Faltando ainda duas rodadas Avaí, Chapecoense e Marcílio Dias lutam pela vaga Catarinense na Copa do Brasil 2015.

Na parte de baixo, a briga contra o rebaixamento envolve três times: Brusque, Juventus e Atlético Ibirama.


Não perca a oitava rodada do hexagonal do rebaixamento:

30/3

Juventus 0 x 2 Avaí - Estádio J.Marcatto

Chapecoense 1 x 0  A.Ibirama - Arena Condá

Brusque 0 x 0 Marcílio Dias - Arena Bauer