icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/04/2014
18:03

Na tarde desse domingo o torcedor do Figueirense lotou o Orlando Scarpelli empurrando o time para o título com a vitória por dois a um. A presença da torcida no treino de ontem foi um aperitivo para a festa na final. Esse foi o décimo sexto título do Figueirense, que se igualou ao Avaí como os maiores campeões do estado.

O time da capital, líder do quadrangular, seria campeão com uma vitória simples por qualquer placar, o suficiente para reverter a vantagem do Joinville, que seria campeão com o empate.

O técnico Vinícius Eutrópio escalou sua força máxima, desde o atacante-xodó Everton Costa, que fez o gol do acesso a série A do Brasileiro no ano passado, até o craque do time Marcus Assunção. Único desfalque é o matador Ricardo Bueno, que sofreu lesão e não se recuperou a tempo.
Enquanto isso o técnico do time de Joinville, Hemerson Maria, tinha os desfalques do atacante Jael e do volante Juliano.

O Figueira começou o jogo em alta velocidade, com quinze segundos de jogo o juiz Héber Roberto Lopes marcou pênalti. Everton Santos foi derrubado por Ivan na área, Giovanni Augusto bateu errado mas Dudu abriu o placar no rebote do goleiro Ivan.

O gol com menos de um minuto de jogo levou a torcida do Figueira ao delírio, o time sentiu em campo a força que vinha da arquibancada e tocou a bola com calma. O time do Joinville sentiu muito o gol já que a vantagem do primeiro jogo mudou de lado logo na primeira jogada da decisão.

Aproveitando o nervosismo do Joinville o time do Figueira foi pra pressão buscando o segundo gol. Dudu recebeu no segundo pau, bateu de primeira e a bola explodiu na zaga saindo pela linha de fundo.

Os primeiros quinze minutos mostraram um time disposto a ser campeão, enquanto o time de Joinville parecia não disputar uma final. Everton Santos recebeu lançamento e já dominou batendo pro gol. Mas o goleiro Ivan conseguiu pegar no canto e Rafael afastou no rebote.

E o Figueira manteve a velocidade nas jogadas. Lúcio Maranhão abriu na meia lua da área para a chegada de Everton Santos que chutou de primeira levando muito perigo ao gol de Ivan.

O time do Joinville jogava sem raça nem determinação e parecia fazer de tudo para o Figueirense matar o jogo. Com o primeiro tempo chegando aos trinta minutos o Joinville não conseguia encaixar um ataque. Sem referência na frente o Figueira fechava bem o meio de campo, apesar do Tricolor ter cinco homens no setor.

O imenso domínio do Figueirense não demorou para se refletir no placar. Em falta cobrada por Marcus Assunção o goleiro Ivan soltou para o meio da área. No rebote o centroavante do Figueirense colocou para o fundo das redes de cotovelo, como o árbitro não viu a jogada Lúcio Maranhão anotou o segundo para o Figueira.

Percebendo que o título ficava distante o time do Joinville acordou para o jogo criando suas primeiras chances somente aos quarenta minutos.  Franco lançou Edigar, mas Tiago Volpi saiu nos pés do atacante tricolor para fazer a defesa antes da finalização.

O segundo tempo começou com o Joinville melhor. Com dois times em campo o espetáculo melhorou muito, levando as torcidas a loucura. Logo aos cinco minutos Fernando Viana chutou forte mas a bola saiu por pouco. Logo no lance seguinte aconteceu a jogada que mudou a partida. Em chute forte Wellington Saci devolveu a emoção ao jogo.

Um golaço do ex-jogador do Figueirense, pivô das polêmicas no primeiro jogo. Nessa momento do jogo com o resultado o Figueira era campeão, mas um gol do Joinville mudava a taça de mãos. Era outro jogo no segundo tempo.

Fernando Viana aplicou um chapéu lindo em cima de Thiago Heleno e bateu de fora da área. A bola passou muito perto do travessão de Volpi. O Joinville ainda acreditava.

O fim de jogo foi emocionante com o Joinville indo pra cima. O Figueirense manteve firme na defesa e o goleiro Volpi fez um milagre no último lance do jogo. O Figueirense é o campeão em Santa Catarina.