icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
14/06/2014
11:48


O ex-jogador Luis Figo chegou a Teresópolis na manhã deste sábado para divulgar o Dreamfootball. Presente em 196 países, o projeto social, criado em 2009, chegou ao Brasil três anos depois no Rio de Janeiro e, pela primeira vez, vai até o interior do estado. O técnico Luiz Felipe Scolari é um dos parceiros de Figo na empreitada.

O objetivo é recrutar jovens talentos por meio de vídeos, que são avaliados por internautas. Posteriormente, os dez mais votados passam pelo crivo de Felipão e, depois, de Figo. Os escolhidos, então, têm os vídeos enviados aos clubes parceiros. No Brasil, Grêmio e Fluminense estão entre os que abraçaram a iniciativa.

- Tentamos criar igualdades e oportunidades para os mais novos. Os tempos mudaram e as chances eram de outras formas. Tínhamos de fazer testes nos clubes. Com evolução e as novas tecnologias, os jovens têm mais meio para conseguir chegar ao profissional. Por isso resolvemos criar essas oportunidades - comentou Figo.


Mais de mil crianças já participaram do projeto no Brasil. Desse total, 36 foram finalistas, três tiveram como destino o Fluminense e outras três treinaram na Inter de Milão (ITA).

Para democratizar o Dreamfootball, câmeras foram colocadas em comunidades específicas, onde acontecem torneios de um contra um entre os jovens. Em Teresópolis, a competição terá início este sábado e terminará no próximo domingo. No Rio de Janeiro, o projeto já esteve no Vidigal, Salgueiro, Alemão e Mangueira.

- No Brasil, pensamos que há um mundo de oportunidades nesse sentido. Há muito talento espalhado aqui e por isso decidimos em 2012 realizar o primeiro, no Vidigal, onde fizemos quatro torneios. Vamos tentar expandir para outras comunidades - disse Figo.

A estreia relação com o país fez com que o ex-jogador revelasse uma torcida pelo Brasil na Copa do Mundo, mas com uma condição:

- Gostaria de desejar a todos um bom mundial e, se não ganhar Portugal, que ganhe o Brasil.