icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
19/02/2015
11:00

Um dos candidatos à presidência da Fifa, o português Luis Figo apresentou, nesta quinta-feira, no Estádio Wembley, em Londres, os seus principais projetos para comandar a entidade máxima do futebol mundial. E uma das principais mudanças de Figo seria alterar o número de seleções na Copa do Mundo, que hoje conta com 32.

O ex-jogador de Real Madrid, Barcelona e Inter de Milão apresentou três propostas para o Mundial, sendo uma delas a de manter o formato atual. As outras duas devem revolucionar os moldes da Copa. Uma delas seria um torneio com 40 seleções, divididas em oito grupos de cinco. Outra ideia do português seria dois torneios simultâneos com 24 times e em continentes distintos, com a fase final em apenas um país. Os dois novos formatos aumentariam em apenas três ou quatro dias o modelo atual. As novas vagas seriam de equipes de fora da Europa.

E MAIS
- Meia francês rejeitou Milan para ganhar mais dinheiro na Rússia
- Alemanha: veja o Top-10 de jogadores que marcaram quatro gols em um jogo

Figo também falou sobre propostas para valorizar e desenvolver o desenvolvimento do futebol de base. Se for presidente da Fifa, o português disse que distribuirá metade da receita da entidade (cerca de R$ 7,1 bilhões) diretamente para as federações investirem na formação de novos valores.

O ex-meia disse ainda que pretende aumentar a tecnologia no futebol. Ele defendeu o uso de aparelhos no gol e um maior debate de outras tecnologias para serem utilizadas no esporte. O candidato ainda quer retomar a discussão sobre a antiga regra do impedimento, não dependendo da participação do atleta impedido no lance.

Além de Luis Figo, concorrerão contra Joseph Blatter, em maio, o atual vice-presidente da Fifa e príncipe da Jordânia Ali Bin Al Hussein e o mandatário da Federação Holandesa, Michael Van Praag.