icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
13/06/2014
14:33

O diretor de marketing da Fifa, Thierry Weil, durante uma explicação nesta sexta-feira sobre o funcionamento da tecnologia da linha do gol, deixou mais uma vez à disposição da CBF a utilização do aparato para acabar com as dúvidas sobre a entrada ou da bola dentro da meta. Segundo Weil, a Fifa já definiu que vai custear a aparelhagem por um ano e que falta definir com a entidade brasileira como isso vai virar realidade.

- É a segunda vez que usamos esse sistema. É importante para nós. Os árbitros têm que confiar no sistema. Foi testado. A tecnologia da linha do gol vai ficar como legado com o país e a Fifa vai pagar a manutenção durante um ano e estamos discutindo com a CBF como isso vai continuar. Para o árbitro, é difícil tomar decisões durante a partida - disse Weil, durante o encontro com jornalistas no Maracanã.

Procurado, o diretor de competições Virgílio Elísio explicou que esse tema será debatido após a Copa do Mundo, com a participação do presidente José Maria Marin. A discussão para implantação ou não nos campeonatos nacional é que os estádios usados na Copa do Mundo vão dispor da aparelhagem e isso causaria uma desigualdade com os clubes que jogarão em palcos que não contam com a tecnologia da linha do gol.