icons.title signature.placeholder Bruno Andrade
11/06/2014
19:30

A Fifa aprovou nesta quarta-feira, durante o 64º Congresso Executivo, em São Paulo, a criação de um cargo especial dentro de cada uma das 209 federações filiadas para investigação de manipulação de resultados. O profissional escolhido receberá um treinamento intensivo da Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal) e, em seguida, será o responsável por analisar todas as eventuais acusações que envolverão clubes, dirigentes, jogadores e árbitros da sua associação.

- O responsável, além de soar o alarme para a Fifa, investigará o caso de perto. Como o mercado de apostas é complicado de compreender, vamos oferecer um treinamento completo. Queremos combater o crime organizado dentro do futebol - declarou Helmut Sandrock, secretário-geral da Federação de Futebol da Alemanha.

Das 209 federações ligadas à Fifa, 163 já trabalham com investigações preventivas para evitar manipulações de resultados. Agora, a Fifa espera que todas as filiadas criem o novo cargo.

- Precisamos chutar para longe os criminosos que atrapalham o nosso futebol e o nosso trabalho. Vamos unir forças para combater a manipulação de resultados, que é um problema mundial. Vamos proteger o futebol - reforçou Joseph Blatter, presidente da Fifa.