icons.title signature.placeholder Renato Homem
21/03/2014
15:14

Os contratos de patrocínio fechados pela Fifa e a venda dos direitos de TV às emissoras espalhadas pelo planeta interessadas em transmitir os jogos da Copa do Mundo no Brasil, daqui a 83 dias, injetaram nos cofres da entidade máxima do futebol, ao longo do ano passado, uma receita de R$ 2,3 bilhões, o equivalente a pouco mais de US $ 1 bilhão. A venda dos jogos pela televisão amealhou US$ 601 milhões (R$ 1,4 bilhão), enquanto os negócios relativos ao marketing contabilizaram US$ 404 milhões (R$ 938 milhões).

O balanço financeiro divulgado pela entidade nesta sexta-feira (21) revela ainda que arrecadação global da organização comandada pelo economista suíço, Joseph Blatter, foi de US$ 1,3 bilhão (R$ 3,2 bilhões), contra US$ 1,1 bilhão (R$ 2,7 bilhões) verificada em 2012. O superávit da organização foi de US$ 72 milhões, algo em torno de R$ 167 milhões, segundo assevera o comunicado que a Fifa fez postar em seu site.

A entidade ressaltou ainda que 72%, ou seja, US$ 183 milhões (R$ 425 milhões), de tudo aquilo que gastou em 2013 foram investidos exclusivamente em projetos de fomento ao futebol e em iniciativas relacionadas à responsabilidade social. O total das despesas chegou a US$ 1,314 bilhão (R$ 3 bilhões), superior aos US$ 1 bi em 2012.

Os gastos da entidade incluem US$ 757 milhões (R$ 1,7 Bilhão) com eventos (a Fifa organizou sete torneios em 2013), US$ 183 milhões (R$ 425 milhões) com projetos de desenvolvimento e outros US$ 216 milhões (R$ 501 milhões) relacionados a custos operacionais diversos, dos quais US$ 17 milhões (R$ 39,5 milhões) representam o recolhimento de impostos.

Até o dia 31 de dezembro de 2013, o balanço da Fifa totalizou US$ 3,165 bilhões (R$ 7,3 bilhões), com reservas de US$ 1,432 bilhão (R$ 3,3 bilhões). Numa iniciativa sem precedentes, a Fifa divulgou um Relatório de Governança anexado ao Relatório Financeiro. De acordo com a entidade, iniciativa está relacionada ao desejo de fortalecer a transparência de suas ações.

O Relatório Financeiro produzido pela Fifa traz detalhes ainda sobre o maior nível de controle dos programas de desenvolvimento fomentados pela entidade nos últimos anos. Desde a realização do Congresso da Fifa em Zurique, na Suíça, em 2011, foi decidida a contratação da KPMG, a prestigiada consultora internacional. A organização foi requisitada para auditar os demonstrativos financeiros produzidos pela Fifa no quadriênio 2011-2014. O próximo Congresso da entidade está programado para os próximos dias 10 e 11 de junho, em São Paulo.