icons.title signature.placeholder Amir Somoggi
08/11/2013
22:39

No mercado esportivo global, o torcedor que frequenta os estádios e arenas, acompanha as partidas e notícias em diferentes mídias, consome produtos e serviços são fundamentais para os negócios. Os clubes e times pelo mundo sabem que é fundamental a fidelização do fã para gerar receitas

Este trabalho deve ser feito tanto para os torcedores mais fanáticos, que se tornam sócios e vão aos jogos, como outros torcedores, que vão eventualmente aos jogos, somente assistem pela TV ou não se relacionam com o clube.

O futebol brasileiro vive atualmente um momento de expansão no seu número de sócios-torcedores, graças ao projeto da Ambev, Por um Futebol Melhor. O site do projeto divulgou essa semana que os clubes brasileiros já contam com 629 mil sócios, o que equivale a 0,4% do total de torcedores no Brasil.

A expectativa da empresa é se aproximar de 3% da base de torcedores do país em poucos anos, cerca de 3,5 milhões de sócios.

O que chama atenção no ranking é a liderança de clubes com um melhor aproveitamento em relação aos demais. O Internacional com quase 110 mil sócios, Grêmio com 74 mil e Santos com 54 mil sócios, lideram o ranking, seguidos pelo Corinthians com 45 mil e Flamengo 44 mil sócios, que cresceu muito desde que aderiu ao projeto.

Isso significa que muito mais importante que ter milhões a mais de torcedores que os rivais, os clubes precisam saber fidelizar o maior número possível dos seus fãs. E esse público vai muito além dos sócios, já que é preciso se conectar com os outros milhares de torcedores que não são sócios e podem se tornar. E também com os milhões que jamais se converterão em sócios, mas acompanham e consomem a marca do clube.

O papel do departamento de marketing dos clubes brasileiros deve passar obrigatoriamente por criar um canal estreito e contínuo de relacionamento com seus milhões de torcedores.

Um bom exemplo do Brasil é o Grêmio, pois além do seu projeto de sócios, criou o Exército Gremista, gratuito, em que o torcedor coloca seus dados e recebe uma carteirinha. Já são 450 mil torcedores. Assim, entre sócios e potenciais sócios, o clube tem contato com 9% do total de torcedores no país. Sem contar as mídias sociais.

O segredo do sucesso dos projetos de fidelização é sua eficiente gestão de informações para alavancar receitas. Para isso é necessário não apenas dados demográficos de seus clientes, mas principalmente diferentes variáveis do comportamento desses grupos de torcedores.

A partir do profundo conhecimento dos hábitos e expectativas do cliente, é possível estruturar abordagens mercadológicas consistentes a fim de buscar uma fidelidade de longo prazo, deste grupo em contato e de potenciais clientes.

Esse trabalho de fidelização é uma via muito mais segura e rentável do que apenas depender dos gols de seus jogadores para poder atrair sócios, público aos seus jogos, vender produtos e alavancar os seus negócios.