icons.title signature.placeholder Gabriel Cassar
18/02/2015
20:10

Beatriz Haddad Maia e Teliana Pereira nunca haviam jogado juntas, mas parece que a pouca experiência da dupla não será um problema no Aberto do Rio. Embaladas pela torcida, as brasileiras estrearam com vitória na categoria, vencendo a dupla que tinha a cabeça de chave número 2 Raluca Olaru. 

- A gente não conversou muito antes do jogo, mas já nos conhecemos há muito tempo, temos uma boa noção de como cada uma joga, o que facilita na hora de atuar. Embora não tenhamos treinado, nossa sintonia se formou dentro de quadra, onde conversamos bastante e fomo ajustando os detalhes. Acredito que o mais importante é cada uma ir jogando da melhor maneira que sabe, da maneira que se sente melhor -, afirmou Teliana.

Sobre o fator "casa", Bia não esconde que a quadra lotada de torcedores ajuda, e muito, na hora de conquistar o resultado.

- É muito especial jogar em casa, estamos sendo muito bem recebidas pela torcida. Jogar no Brasil é especial, ainda mais em um torneio desse tamanho. A torcida ajuda bastante, temos que usá-la a nosso favor e, quem sabe, passo a passo, irmos conquistando nosso espaço.