icons.title signature.placeholder Thiago Salata
04/07/2014
19:37

Felipão levantou pela primeira vez aos dois minutos, sentou aos três. Levantou aos quatro, cruzou os braços, colocou a mão para trás... Aos seis, explodiu de alegria junto com seu capitão, Thiago Silva e todo o banco de reservas, na vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia, nesta sexta.

Terminou o jogo fora da área técnica, pedindo o apito final após intermináveis acréscimos de cinco minutos. Explodiu de novo ao fim, abraçou membros da comissão técnica e virou-se vibrando para a torcida. Se não tem sufoco, não é Felipão. E se tem Felipão, tem time chegando longe nesse negócio chamado Copa.

Scolari estava, sim, preocupado por não ver o time evoluir. Hoje está classificado para sua terceira semifinal de Copa do Mundo. Não há como negar: disso ele entende muito.



São 14 vitórias em Copas, por Brasil e Portugal. Felipão superou Zagallo, como o técnico brasileiro que mais venceu na competição. Após 12 anos, o Brasil está de novo numa semi. Como em 2002, com Scolari.



O histórico jogo da carreira do treinador teve o “senta, levanta” habitual, as bufadas, os trejeitos que já são marca registrada. Braços abertos, reclamações... Com seu casaco azul da sorte no quente caldeirão do Castelão, que teve pressão da torcida como o “velho” Scolari gosta.

O time não teve mudanças táticas. Manteve o 4-2-3-1 de sempre, com Hulk na esquerda e Oscar na direita. Mas teve evolução técnica, com um Paulinho enfim “estreando” na Copa. Maicon marcou melhor no dia em que Felipão interditou a Avenida Daniel Alves. E a zaga, bem, a zaga... Não bastasse o recorde deste século com a Seleção de 26 jogos seguidos sem perder juntos, Thiago Silva e David Luiz agora resolvem também no ataque. Os últimos três gols vieram da dupla.

Felipão só tem motivos para ter orgulho da dupla. Por saber dessa força, passou a mão no rosto e claramente lamentou o bobo cartão de Thiago, que o suspende para a semifinal contra a Alemanha, na terça.

A aflição aumentou com o gol colombiano e os tensos minutos finais. Foram três volantes e três zagueiros para segurar a vaga. Felipão vai alcançar o incrível número de 21 jogos em três Copas do Mundo, o máximo que poderia. Jogue feio, ou jogue bonito, lá está o time dele de novo.

As 14 vitórias de Felipão em Copas do Mundo:

2002
Brasil 2x1 Turquia
Brasil 4x0 China
Brasil 5x2 Costa Rica
Brasil 2x0 Bélgica
Brasil 2x1 Inglaterra
Brasil 1x0 Turquia
Brasil 2x0 Alemanha

2006
Portugal 1x0 Angola
Portugal 2x0 Irã
Portugal 2x1 México
Portugal 1x0 Holanda

2014
Brasil 3x1 Croácia
Brasil 4x1 Camarões
Brasil 2x1 Colômbia