icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
07/07/2014
18:29

A preparação do Brasil para o jogo contra a Alemanha começou a partir da perda de Neymar, ainda na sexta-feira, depois que os exames feitos em Fortaleza apontaram uma fratura na vértebra. A confirmação da ausência do atacante até o fim da Copa abalou o grupo, mas, ao longo dos dias que antecederam o confronto desta terça-feira, a partir da intervenção da psicóloga Regina Brandão, a falta do 10 passou a ser vista como um fortalecimento para a decisão.

- Cada jogo é uma passagem de etapa. Neymar, ao nos deixar, levou muito de nós com ele e deixou muito dele conosco. Ficamos tristes e tudo mais, mas ele, depois de estar mais tranquilo e no jeito de conversar, fez com que o grupo entendesse que a parte dele foi feita. Agora, precisamos fazer a nossa. É um jogador muito importante, que pode nos levar a uma final, mas vamos estar jogando por nosso país e por tudo aquilo que sonhamos. Vamos jogar por nós, por Neymar, mas antes de tudo por nosso objetivo que foi estabelecido desde o início - comentou Felipão.

Mesmo sem o camisa 10, protagonista da Seleção até a classificação às semifinais do torneio, Felipão não considera que a Alemanha seja favorita para vencer. O técnico fez questão de valorizar o elenco e lembrou que os 23 foram rigorosamente escolhidos e, portanto, os reservas também têm o devido valor no grupo.

- Não teremos Neymar, mas temos uma equipe com mais 20 jogadores que sabem que são especiais. Foram escolhidos a dedo. Ser reserva é ser alguém especial para um momento especial. E quando entra pode fazer a diferença. Vamos sentir a competitividade a forma e alegria como Neymar jogava, mas temos um grupo com ótimas condições de passar e seguir em frente - apostou.

Apesar de o assunto Neymar ter dominado o noticiário e ser o principal assunto nos bastidores do Brasil, o capitão Thiago Silva garante que o trabalho feito com a psicóloga não considerou apenas a ausência do atacante.

- Conversamos de várias coisas, até fora de futebol. Se não tiver com a cabeça tranquila, as coisas não acontecem. Falamos de Neymar, mas ela falou para todos ficarem tranquilos. Ele já fez a parte dele. Foi tirada uma Copa dele por uma entrada covarde. Sou zagueiro, sei como marcar - comentou o zagueiro.