icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes e Igor Siqueira
08/03/2014
23:06

O técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, preferiu não fazer uma crítica direta ao goleiro Julio Cesar, que neste sábado jogou uma pelada de futebol amador como jogador de linha em São Paulo. A menos de cem dias para a Copa, Felipão deixou claro que não vai ficar de "polícia" em cima dos selecionáveis, mas ressaltou que cada um tem a responsabilidade de chegar bem fisicamente para o Mundial.

- O Julio é jogador de onde? Do Toronto. Então, quem tem que falar sobre isso é o treinador do Toronto. Já disse cem vezes para vocês. Quando não tenho A, coloco B, quando não tenho B, coloco C e confio plenamente em todos aqueles que foram convocados. Se ele tem condição ou de jogar é o pessoal do Toronto que precisa dizer. Não sou eu - afirmou o treinador, que acompanhou o desfiles das campeãs do Carnaval do Rio no camarote da Brahma.

Felipão teve a companhia da esposa e dos filhos na folia. O treinador ensaiou um samba, fez questão de não ser incomodado durante a apresentação das escolas, mas atendeu com cordialidade os pedidos de entrevista e fotos. Ele também acompanhou os desfiles ao lado do ex-treinador Zagallo.

- Queremos aproveitar pelo menos no final. Nunca pulei Carnaval de rua. E nas oportunidades que pude vir ao sambódromo sempre gostei. Futebol e samba são duas paixões do brasileiro e conseguem uma integração de todos independentemente de qualquer cor, credo, qualquer situação - comentou o treinador.

Em um dos contatos com torcedores, ele recebeu um bilhete de uma menina que estava no camarote. O conteúdo foi uma mensagem de apoio à Seleção, dando como certeza o título Mundial e pedindo ainda o atacante Diego Tardelli, do Atlético-MG, na lista de 23 para a Copa-2014, que sai no dia 7 de maio. O sentimento da pequena foi reverberado pelo treinador.

- Temos confiança total na nossa equipe. Estamos mostrando isso há um bom tempo, temos um bom grupo e respeitamos todo mundo. Temos condição de sonhar e temos condições de sermos campeões - assegurou Scolari.