icons.title signature.placeholder Caio Carrieri, Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
03/07/2014
16:55

Felipão confirmou a Seleção Brasileira que enfrentará a Colômbia, nesta sexta-feira, em Fortaleza, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Sem Luiz Gustavo, suspenso pelo segundo cartão amarelo, ele aposta na volta de Paulinho, barrado contra o Chile. O time jogará com Julio Cesar, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Fernandinho e Paulinho; Hulk, Neymar e Oscar; Fred.

Assim, Maicon e Ramires, que poderiam ganhar as vagas de Dani Alves e Hulk, seguem no banco.

Em entrevista no Castelão, palco do jogo, o técnico Luiz Felipe Scolari foi questionado a respeito da preferência por Paulinho e do teste que fez com o zagueiro Henrique improvisado como volante e no lugar de Fred, no treino da última quarta-feira, em Teresópolis (RJ).

– Henrique é uma opção dependendo do andamento do jogo e do resultado. É uma situação à qual ele está acostumado comigo porque já jogamos assim no Palmeiras, mas ele nunca jogou com Thiago nem com David, então é um pouquinho diferente o posiconamento. Em princípio é uma opção – disse Felipão.

O técnico também descartou marcação especial nos meias James Rodríguez, artilheiro da Copa com cinco gols, e em Cuadrado, também destaque a maior assistente do Mundial, com quatro passes para o gol.

– Não vi time algum fazendo marcação especial nesta Copa. A não ser em um determinado jogo, sim, é verdade, entre Holanda e México... Houve marcação especial do Kuyt marcando o lateral mexicano que apoiava muito (Layún) e do Blind perseguindo o Alexis Sánchez pelo campo todo, mas foi só. Não vamos fazer, não.

Para Felipão, a preocupação que ele tem com os destaques da seleção colombiano é o mesmo que o técnico argentino José Nestor Pékerman deve ter com os brasileiros, principalmente com Neymar.

– O que eu falar aqui para o Thiago (Silva): “Olha, pega esse aqui porque ele é bom no jogo aéreo”, o Pékerman está falando lá para os jogadores dele também: “Cuidado com aquele porque dribla para cá e faz isso e aquilo”. É a mesma coisa. O cuidado tem de ser geral.