icons.title signature.placeholder Frederico Ribeiro e Thiago Fernandes
icons.title signature.placeholder Frederico Ribeiro e Thiago Fernandes
25/07/2013
06:13

Vencer a Copa Libertadores foi uma emoção que o técnico Cuca dividiu com todos os seus familiares. Ao término da decisão, diante do Olimpia (PAR), a imprensa encontrou Mayara e Natasha Stival, filhas do treinador, e sua irmã Kelly Stival. Acompanhadas do cunhado do comandante, o trio esbanjava felicidade nos corredores do Mineirão.

Em rápida conversa com a nossa equipe de reportagem, Mayara falou sobre o seu sentimento, relembrando as críticas sofridas pelo pai durante a carreira.

– É um sentimento incomparável, não se iguala a nada. Muitos falavam que ele não tinha título, aí ele foi duas vezes campeão carioca e duas vezes mineiro. Continuaram falando que ele não tinha título de expressão. Agora ele tem, ninguém tem o que falar. Ele é um homem de sorte, campeão da Libertadores e, agora, nós vamos para Marrocos – disse, explicando o sentimento que toda a sua família nutre pelo Atlético-MG:

– Meu pai era carente de um título e o Atlético também. Então, uniu o útil ao agradável. Os dois que eram carentes de um grande título fizeram um trabalho perfeito, junto com a diretoria, jogadores e comissão técnica. Desde o primeiro jogo da Libertadores, era um time que se destacava. Foi passando por um, dois, três e chegou à final. Agora, o coração quase não aguentou, tivemos que tomar calmante, mas valeu a pena.

Os toques de emoção da grande final assustaram a filha de Cuca, que revela ter ficado de costas no momento das cobranças de pênaltis.

– Eu assisti da parte superior. Foi muito difícil. Eu assistia, não assistia mais, ficava de costas. Nos pênaltis, eu fiquei ajoelhada, assistindo pelo telão. Não sabia se andava ou ficava parada. Foi muito sofrido, mas assim é melhor – concluiu.

Veja os gols do Galo campeão da Libertadores 2013

Vencer a Copa Libertadores foi uma emoção que o técnico Cuca dividiu com todos os seus familiares. Ao término da decisão, diante do Olimpia (PAR), a imprensa encontrou Mayara e Natasha Stival, filhas do treinador, e sua irmã Kelly Stival. Acompanhadas do cunhado do comandante, o trio esbanjava felicidade nos corredores do Mineirão.

Em rápida conversa com a nossa equipe de reportagem, Mayara falou sobre o seu sentimento, relembrando as críticas sofridas pelo pai durante a carreira.

– É um sentimento incomparável, não se iguala a nada. Muitos falavam que ele não tinha título, aí ele foi duas vezes campeão carioca e duas vezes mineiro. Continuaram falando que ele não tinha título de expressão. Agora ele tem, ninguém tem o que falar. Ele é um homem de sorte, campeão da Libertadores e, agora, nós vamos para Marrocos – disse, explicando o sentimento que toda a sua família nutre pelo Atlético-MG:

– Meu pai era carente de um título e o Atlético também. Então, uniu o útil ao agradável. Os dois que eram carentes de um grande título fizeram um trabalho perfeito, junto com a diretoria, jogadores e comissão técnica. Desde o primeiro jogo da Libertadores, era um time que se destacava. Foi passando por um, dois, três e chegou à final. Agora, o coração quase não aguentou, tivemos que tomar calmante, mas valeu a pena.

Os toques de emoção da grande final assustaram a filha de Cuca, que revela ter ficado de costas no momento das cobranças de pênaltis.

– Eu assisti da parte superior. Foi muito difícil. Eu assistia, não assistia mais, ficava de costas. Nos pênaltis, eu fiquei ajoelhada, assistindo pelo telão. Não sabia se andava ou ficava parada. Foi muito sofrido, mas assim é melhor – concluiu.

Veja os gols do Galo campeão da Libertadores 2013