icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
23/06/2014
13:00

Após uma manhã de extrema tranquilidade ao redor do Mané Garrincha, com as principais vias de acesso fechadas para o trânsito, a movimentação começou a aumentar e três dúvidas são as mais frequentes dos torcedores: banheiros, restaurantes e ingressos. Difícil é encontrar o que eles procuram. A busca acontece até em locais montados para atender aos turistas.

- É quase impossível achar ingresso no dia do jogo. Orientamos a não comprar de cambistas. De qualquer forma, pode procurar no Centro de Convenções - afirmou Sthefani Wanzeller, de 23 anos, funcionária do Embaixadores do Turismo, programa da Secretária de Turismo do Distrito Federal.

Não há mais ingressos à venda e cambistas são encontrados ao redor do estádio, como de costume.

Uma tenda do Centro de Atendimento ao Turista está montada em frente ao estádio. Como os portões só abrem às 14h, fica impossível para os torcedores encontrarem banheiros e lugares para comer nas imediações do Mané.

- O que nos foi passado é que a Fifa não autorizou banheiros químicos. O local mais próximo é o Planetário, mas fechou às 12h. Agora, só na Praça da Torre de TV, onde também há restaurantes - disse Sthefani.

A praça fica a cerca de um quilômetro do local da partida entre Brasil e Camarões, marcada para as 17h. Muitos torcedores se aglomeram em shoppings perto do estádio para ver o duelo entre Chile e Holanda, que acontece em São Paulo.


Centro de atendimento ao turista, em frente ao Mané Garrincha (Foto: Maurício Oliveira)