icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/07/2013
15:36

Após quase um ano fora, Fagner está de volta ao Vasco. O lateral-direito foi apresentado nesta segunda-feira, em São Januário. Bem fisicamente, o jogador já vai participar do treino desta tarde e diz estar à disposição do técnico Dorival Júnior para reestrear neste sábado, contra o Criciúma.

- Gostaria de agradecer ao presidente e ao Ricardo, pela oportunidade que está me dando de poder mais uma vez vestir a camisa do Vasco. É um clube muito grande, de tradição. Fico feliz não só pela oportunidade, mas pelo carinho todo que recebi desde que voltei. Isso é legal. Estou pronto para ajudar meus companheiros - disse Fagner.

Neste retorno, o jogador voltará a usar a camisa de número 23, mesmo que usou em sua primeira passagem pela Colina, entre 2009 e 2012. Ele fez questão de agradecer ao atacante Reginaldo, que havia escolhido essa numeração.

- Reginaldo estava com a camisa, ele cedeu, queria agradecer, pela historia toda, pelo carinho que tenho pela 23. No Wolfsburg já estavam usando a 23, por isso inverti e escolhi a 32. Fico feliz por essa atitude da diretoria, de chegar e se preocupar em dar camisa - agredeceu o lateral.


Fagner voltou a vestir a camisa do Vasco em São Januário (FOTO: Bruno de Lima/LANCE!Press)

Fagner vive situação bastante diferente de quando chegou ao clube pela primeira vez. O jogador foi contratado junto ao PSV (HOL) para a disputa da Série B. desconhecido, foi apresentado ao lado de outros dez atletas.

- Lembro, era eu e mais dez. É diferente. Hoje fico feliz pelo retorno, pela maneira que estou voltando, por toda a receptividade que tive, até pelo carinho da torcida. Espero retribuir da melhor maneira possivel - ressaltou.

O lateral-direito já está regularizado no BID. Para reestrear, dependerá apenas do aval do técnico Dorival Júnior, pois vinha treinando regularmente na Alemanha:

- Vou conversar com Dorival ainda. Estava em pré-temporada há um mês, acredito que tenha condição de jogo. Estou à disposição.

Confira outros trechos da entrevista de Fagner:

O que mais sentiu falta
"De São Januário e de sentir o carinho da torcida. Não esperava a repercussão grande, até torcedores de outras equipes me desejaram boa sorte, agora meu pensamento é treinar para retribuir um pouco o carinho."

O que contribuiu para a volta
"Uma série de fatores. Quando surgiu o interesse do Vasco pensei na minha família, minha esposa, que está esperando o segundo filho, e muito no carinho que tenho pelo Vasco. Tenho certeza que fiz a escolha certa."

Contrato
"Tenho contrato com o Wolfsburg até 2016, mas agora quero pensar até o final do ano. Quando tiver para acabar meu contrato de empréstimo com o Vasco, quero sentar e pensar no futuro da melhor maneira."

Diferenças no retorno
"Crescer para mim é difícil, só meu filho que cresceu... (risos). Mas estou com mais experiência, tive mais convivência no meio do futebol, aprendi a cultura de outro país. Mas sentia saudade de ser o Fagner que saiu daqui. Tive que ajudar um pouco minha característica. Espero voltar melhor para quem sabe buscar uma seleção. Foi assim que sai daqui. Com todos falando e cogitando."

Dupla com Eder Luis
"A gente se viu brevemente, conversamos, mas espero que consiga voltar o bom futebol daquela época. Se eu puder ajudar ótimo. Fico feliz pela dupla que fiz com o Eder (Luis) ter marcado bastante."

Após quase um ano fora, Fagner está de volta ao Vasco. O lateral-direito foi apresentado nesta segunda-feira, em São Januário. Bem fisicamente, o jogador já vai participar do treino desta tarde e diz estar à disposição do técnico Dorival Júnior para reestrear neste sábado, contra o Criciúma.

- Gostaria de agradecer ao presidente e ao Ricardo, pela oportunidade que está me dando de poder mais uma vez vestir a camisa do Vasco. É um clube muito grande, de tradição. Fico feliz não só pela oportunidade, mas pelo carinho todo que recebi desde que voltei. Isso é legal. Estou pronto para ajudar meus companheiros - disse Fagner.

Neste retorno, o jogador voltará a usar a camisa de número 23, mesmo que usou em sua primeira passagem pela Colina, entre 2009 e 2012. Ele fez questão de agradecer ao atacante Reginaldo, que havia escolhido essa numeração.

- Reginaldo estava com a camisa, ele cedeu, queria agradecer, pela historia toda, pelo carinho que tenho pela 23. No Wolfsburg já estavam usando a 23, por isso inverti e escolhi a 32. Fico feliz por essa atitude da diretoria, de chegar e se preocupar em dar camisa - agredeceu o lateral.


Fagner voltou a vestir a camisa do Vasco em São Januário (FOTO: Bruno de Lima/LANCE!Press)

Fagner vive situação bastante diferente de quando chegou ao clube pela primeira vez. O jogador foi contratado junto ao PSV (HOL) para a disputa da Série B. desconhecido, foi apresentado ao lado de outros dez atletas.

- Lembro, era eu e mais dez. É diferente. Hoje fico feliz pelo retorno, pela maneira que estou voltando, por toda a receptividade que tive, até pelo carinho da torcida. Espero retribuir da melhor maneira possivel - ressaltou.

O lateral-direito já está regularizado no BID. Para reestrear, dependerá apenas do aval do técnico Dorival Júnior, pois vinha treinando regularmente na Alemanha:

- Vou conversar com Dorival ainda. Estava em pré-temporada há um mês, acredito que tenha condição de jogo. Estou à disposição.

Confira outros trechos da entrevista de Fagner:

O que mais sentiu falta
"De São Januário e de sentir o carinho da torcida. Não esperava a repercussão grande, até torcedores de outras equipes me desejaram boa sorte, agora meu pensamento é treinar para retribuir um pouco o carinho."

O que contribuiu para a volta
"Uma série de fatores. Quando surgiu o interesse do Vasco pensei na minha família, minha esposa, que está esperando o segundo filho, e muito no carinho que tenho pelo Vasco. Tenho certeza que fiz a escolha certa."

Contrato
"Tenho contrato com o Wolfsburg até 2016, mas agora quero pensar até o final do ano. Quando tiver para acabar meu contrato de empréstimo com o Vasco, quero sentar e pensar no futuro da melhor maneira."

Diferenças no retorno
"Crescer para mim é difícil, só meu filho que cresceu... (risos). Mas estou com mais experiência, tive mais convivência no meio do futebol, aprendi a cultura de outro país. Mas sentia saudade de ser o Fagner que saiu daqui. Tive que ajudar um pouco minha característica. Espero voltar melhor para quem sabe buscar uma seleção. Foi assim que sai daqui. Com todos falando e cogitando."

Dupla com Eder Luis
"A gente se viu brevemente, conversamos, mas espero que consiga voltar o bom futebol daquela época. Se eu puder ajudar ótimo. Fico feliz pela dupla que fiz com o Eder (Luis) ter marcado bastante."