icons.title signature.placeholder Guilherme Palenzuela
icons.title signature.placeholder Guilherme Palenzuela
06/07/2013
08:27

Fabrício pode ser reintegrado ao elenco do São Paulo. Tudo dependerá do novo técnico da equipe. Afastado em maio, após a queda na Libertadores, o volante completou 31 anos nesta sexta-feira, mesmo dia que marcou a demissão de Ney Franco. Segundo a diretoria do clube, o treinador que assumir agora terá autonomia para contar com Fabrício, se assim quiser. 

Contratado para exercer perfil de líder, Fabrício teve o modo de pensar reprovado por Ney Franco. Foi o treinador que exigiu o afastamento do jogador à diretoria, na lista de sete atletas. Ney Franco o considerava um líder com influência negativa no vestiário, capaz de prejudicar seu trabalho. O fato, inclusive, irritou alguns diretores do São Paulo. 

Desde o afastamento, a diretoria do São Paulo sempre disse que não venderia Fabrício. A ideia era emprestá-lo, para que fosse aproveitado em 2014, caso Ney Franco não estivesse no ano seguinte - contrato do técnico valia até o fim deste ano. A postura é a mesma para o meia argentino Marcelo Cañete, emprestado à Portuguesa. A Lusa, inclusive, tentou levar Fabrício, mas o jogador esperou definições no São Paulo, demorou a negociar e pode colher, agora, os frutos. 

Fabrício vinha trabalhando no CT da Barra Funda em horários alternados em relação ao elenco. O volante e o lateral-esquerdo Cortez fazem atividades pela manhã quando o time treina à tarde, e vice-versa. Cortez, também segundo a diretoria, pode voltar com outro treinador, mas já tem negociações adiantadas para deixar o clube. 

PREPARADOR FÍSICO FICA

Apesar de Ney Franco e o auxiliar técnico Éder Bastos terem deixado o São Paulo, o preparador físico Alexandre Lopes, que sempre acompanhou o treinador e chegou ao Morumbi com ele, ficará. Alexandre deverá fazer parte da comissão fixa do clube, e já participou do treino desta sexta-feira com os jogadores.

Fabrício pode ser reintegrado ao elenco do São Paulo. Tudo dependerá do novo técnico da equipe. Afastado em maio, após a queda na Libertadores, o volante completou 31 anos nesta sexta-feira, mesmo dia que marcou a demissão de Ney Franco. Segundo a diretoria do clube, o treinador que assumir agora terá autonomia para contar com Fabrício, se assim quiser. 

Contratado para exercer perfil de líder, Fabrício teve o modo de pensar reprovado por Ney Franco. Foi o treinador que exigiu o afastamento do jogador à diretoria, na lista de sete atletas. Ney Franco o considerava um líder com influência negativa no vestiário, capaz de prejudicar seu trabalho. O fato, inclusive, irritou alguns diretores do São Paulo. 

Desde o afastamento, a diretoria do São Paulo sempre disse que não venderia Fabrício. A ideia era emprestá-lo, para que fosse aproveitado em 2014, caso Ney Franco não estivesse no ano seguinte - contrato do técnico valia até o fim deste ano. A postura é a mesma para o meia argentino Marcelo Cañete, emprestado à Portuguesa. A Lusa, inclusive, tentou levar Fabrício, mas o jogador esperou definições no São Paulo, demorou a negociar e pode colher, agora, os frutos. 

Fabrício vinha trabalhando no CT da Barra Funda em horários alternados em relação ao elenco. O volante e o lateral-esquerdo Cortez fazem atividades pela manhã quando o time treina à tarde, e vice-versa. Cortez, também segundo a diretoria, pode voltar com outro treinador, mas já tem negociações adiantadas para deixar o clube. 

PREPARADOR FÍSICO FICA

Apesar de Ney Franco e o auxiliar técnico Éder Bastos terem deixado o São Paulo, o preparador físico Alexandre Lopes, que sempre acompanhou o treinador e chegou ao Morumbi com ele, ficará. Alexandre deverá fazer parte da comissão fixa do clube, e já participou do treino desta sexta-feira com os jogadores.