icons.title signature.placeholder Fabricio Crepaldi
21/11/2013
08:24

Quando um jovem atleta vai estrear no profissional de algum time, geralmente pede proteção a Deus para ir bem e nada correr errado. No Palmeiras, a partida contra o Paysandu, na última semana, foi a primeira do goleiro Fábio, de 23 anos. E ele escolheu um "santo" que para a torcida é ainda mais importante: São Marcos.

- Eu brinquei com o Marcos antes do jogo, falei com ele que estava meio travado, nervoso, ele me disse "reza para São Marcos que esse não falha". Eu falei que ia acender vela, que ia rezar para São Marcos, para ver se ele ajudava. Ele disse "pode acender que esse é confiável, não falha" (risos) - contou, ao LANCE!Net.

Quando chegou em casa, em Osasco, após a ida a Belém, Fábio viu uma grande vela acesa. Era de sua mãe, Maria de Fátima, devota de Santo Expedito, que pedia proteção na partida. Deu certo e o camisa 47 teve boa atuação.

Mas Fábio é "devoto", mesmo, de São Marcos. Desde criança, é o seu grande ídolo. Que, com cerca de dois anos de treinos diários juntos, virou grande amigo. Eles se veem bastante e estão juntos sempre que possível.

Mas Fábio não está satisfeito apenas com a amizade. Ele quer seguir os passos do Santo. O caminho já começou a ser traçado. Está há nove anos no Palmeiras, há quatro no profissional. A estreia só aconteceu na última semana. História semelhante a do ídolo. Agora, o goleiro espera que isso continue dentro de campo.

- Espero um dia chegar a 10% do que ele fez, os títulos que conquistou. A carreira dele é fenomenal. Estou trabalhando para isso. Ele é um exemplo para mim dentro e fora de campo, uma pessoa incomparável - falou o goleiro.

Fábio é a grande aposta para o gol palmeirense nos próximos anos. Com contrato até 2017, ele já começou a dar mostras de que o futuro é promissor. Com todas as bençãos de São Marcos.

Confira um bate-bola com Fábio:

Como é a relação com Marcos?
Agora que o filho dele nasceu até demos uma distanciada, mas sempre que dá nos visitamos, conversamos, ele faz um churrasco em casa e me chama... É muito legal.

LANCE!Net: Ele tenta dar dicas sobre a parte de dentro de campo?
Fábio: Ele tenta no bate-papo passar tranquilidade, confiança... Sempre fala pra eu fazer o que ele sempre acompanhou, treinamos dois anos juntos, ele viu meu potencial. Diz para eu seguir fazendo aquilo nos treinos e mostrar nos jogos.

Acha que pode retomar a fama do clube revelar grandes goleiros?
Eu treino em busca disso, para manter essa tradição longa, de muitos anos. Meu foco é manter essa tradição e procurar meu espaço.

Mas o Fernando Prass ainda tem mais dois anos de contrato...
O Prass é o titular, com certeza, é experiente e eu ainda busco meus objetivos. A questão de demorar para entrar é algo bom porque eu vou treinando, amadurecendo a cada dia e crio uma certa experiência. Isso é bom para amadurecer bastante.

Costuma conversar bastante com os goleiros mais experientes?
Procuramos falar sempre, não só dos fatos que acontecem entre nós, mas em geral. Eu acabo aprendendo não só com os meus erros, mas com os dos outros também. Procuramos conversar sempre sobre tudo isso.

Mudou alguma coisa na sua vida depois da estreia no profissional?
Não (risos). Eu saí pouco, fui ao shopping só. Não teve nada ainda. Sou mais reservado, mas essa questão de assédio, foto, é pelo trabalho, é um reconhecimento. É gostoso isso.

Já tem autógrafo pronto?
Tenho. Fico treinando em casa de vez em quando (risos). Mostro pra minha mãe, minha irmã, pra ver como fica. Estamos em busca do autógrafo perfeito (risos). Elas dizem que está bonito, mas acho que é mais para puxar meu saco.

E você espera ter mais chances agora que fez sua estreia?
Expectativa eu tenho, mas ainda não sabemos o futuro do Bruno. Estou treinando para conseguir uma vaga, busco meu sonho de ser titular do Palmeiras um dia.

Já fez todos seus amigos virarem palmeirenses?
Perto de casa tem corintiano e são-paulino, mas por convívio eles torcem muito por mim  Vou deixar a minha vila um pouco verde.