icons.title signature.placeholder Valdomiro Neto
icons.title signature.placeholder Valdomiro Neto
30/07/2013
19:17

Os rivais Santos e São Paulo deram um tempo no Campeonato Brasileiro, onde ocupam a 9ª e 18ª colocação, respectivamente, e estão em solo europeu para amistosos contra gigantes locais. Ambos os clubes sentem assim um gosto já muito conhecido em suas gloriosas histórias. Bem sucedidos em competições internacionais, foram convidados, nas eras em que tiveram mais prestígio mundial, a participar de disputas no Velho Continente e também em outros cantos do globo. Com o passar do tempo e a mudança do calendário, com os estaduais espremendo as datas , a prática tornou-se escassa. Os dois clubes paulistas, ainda assim, conseguiram brechas para reeditar, em miniatura, seus tempos célebres. 

O São Paulo, que nesta quarta enfrentará o Bayern de Munique pela Copa Audi e ainda disputará troféus em Portugal e Japão, teve nos anos 90, sob a direção do mestre Telê Santana, seus instantes dourados no cenário mundial. Bicampeão da Libertadores e Mundial no biênio 92/93, o clube participou no período de importantes torneios amistosos, como os renomados Teresa Herrera e Ramón de Carranza, com expressivas goleadas sobre a poderosa dupla espanhola Barcelona e Real Madrid. 

Massimiliano Allegri, Guardiola, Pelegrino e Autuori, os técnicos da Copa Audi (FOTO: Christof Stache/AFP)

No ano do primeiro Mundial, a equipe, liderada pelo ídolo Raí, goleou na decisão do Teresa Herrera o Barcelona por 4 a 1, justamente o rival que meses depois voltaria a superar, desta vez por 2 a 1 na final do Mundial de Clubes, para conquistar o até então título mais importante da sua história, no Japão. No ano seguinte, quando faturaria o bicampeonato diante do Milan (3 a 2), faria implacáveis 4 a 1 no Real Madrid, pelo Ramón de Carranza. Naqueles anos, o clube tricolor ainda jogaria torneios em Santiago, no Chile, e Compostela, na Espanha, além de amistosos nos Estados Unidos e no México. Tempos áureos.. 

O Santos, por sua vez, fará um jogo isolado contra a equipe mais festejada na última década, o Barcelona, de Messi, e que agora contará com ninguém menos que Neymar, maior ídolo recente do Alvinegro. A partida, que acontece na sexta-feira pelo tradicional troféu Joan Gamper, será disputada como parte do acordo feito entre santistas e catalães pela negociação do atacante. Além de reeditar a final do Mundial de Clubes de 2011, quando os espanhóis venceram por impiedosos 4 a 0, a oportunidade lembra um pouco os anos 60, quando com Pelé e cia. a equipe fazia longos tours pela Europa. 

No período em que, assim como o São Paulo, conquistou dois títulos mundiais consecutivos, o Peixe passou por uma quantidade assombrosa de países para partidas amistosas. O clube chegou a passar meses longe do Brasil para disputar esses jogos e ganhar cachês. Alemanha. Bélgica, Espanha, França, Grécia, Inglaterra e Portugal estiveram no roteiro para ver a equipe e, principalmente, o Rei do Futebol, que se sagradia no período também bicampeão mundial com a Seleção Brasileira. O time também faria incursões por países de outros continentes, como Costa Rica e Israel. 

Neilton e Montillo chegam a Barcelona para o duelo do Santos contra o time local (FOTO: Divulgação)

Com uma das linhas mais famosas de todos os tempos, o Peixe conseguiu no período vitórias expressivas, como goleadas sobre Inter de Milão, Wolfsburg, Basel e Frankfurt. Nesse mesmo período, o time foi bicampeão mundial derrotando Benfica e Milan nas decisões de 62 e 63. Eram tempos em que o futebol brasileiro permitia longas escapadas de seus clubes para faturar no exterior, já que as transmissões televisivas de jogos não estavam ainda disseminadas e os campeonatos estaduais eram o destaque do calendário. 

A história de Santos e São Paulo mostra que os clubes já são escolados em enfrentar potências internacionais. Nesta semana, poderão relembrar os velhos tempos. 

Santos no exterior nos primeiros anos da década de 60, os tempos dourados:

1960

Santos 4 x 3 Standard Liége - Bélgica
Santos 5 x 2 Sel. Polônia - Polônia
Santos 9 x 1 T.S.V 1860 Munchen (ALE) -Alemanha
Santos 6 x 0 Anderletch (BEL) - Bélgica
Santos 3 x 2 Roma (ITA) - Itália
Santos 0 x 3 Fiorentina (ITA) - Itália
Santos 5 x 3 Stade Reims (FRA) - França
Santos 4 x 1 Racing Paris (FRA) - França
Santos 5 x 2 Gantoise (BEL) -Bélgica
Santos 3 x 1 Sl Antuérpia - Bélgica
Santos 4 x 2 Eintracht - Alemanha Ocidental
Santos 4 x 2 Seleção de Berlim - Alemanha Ocidental
Santos 3 x 1 Stade Reims - França
Santos 2 x 2 Dep. Español - Espanha
Santos 3 x 0 Toulouse - França
Santos 1 x 0 Valencia - Espanha
Santos 3 x 4 Barcelona - Espanha

1961:

Santos 7 x 3 Saprissa-CRI - Costa Rica
Santos 3 x 0 Herediano - Costa Rica
Santos 3 x 2 Bayern de Munique (BEL)- Alemanha Ocidental
Santos 1 x 2 La Gantoise (BEL) - Bélgica
Santos 2 x 2 Anderletch (BEL) - Bélgica
Santos 4 x 4 Standard Liége (BEL) - Bélgica
Santos 8 x 2 Basel (SUI) - Suíça
Santos 6 x 3 Wolfsburg (ALE) - Alemanha Ocidental
Santos 4 x 4 Sel Antuérpia (BEL) - Bélgica
Santos 6 x 1 Racing Paris (FRA - França
Santos 6 x 2 Lyon (FRA) - França
Santos 3 x 1 Sel. Israel - Israel
Santos 5 x 4 Racing Paris - França
Santos 6 x 3 Benfica (POR) - Portugal
Santos 2 x 0 Juventus - Itália
Santos 5 x 0 Roma - Itália
Santps 4 x 1 Inter de Milão - Itália
Santos 8 x 6 Kalrushe (ALE) - Alemanha Oicental
Santos 3 x 0 AEK-GRE - Grécia
Santos 3 x 2 Panathinaikos (GRE) - Grécia
Santos 1 x 2 Olympiakos (GRE) - Grécia

1962:

Santos 0 x 1 Estrela Vermelha-IUG - França
Santos 2 x 3 Racing Paris - França
Santos 5 x 2 Benfica (MUNDIAL) - Portugal
Santos 5 x 2 Racing Paris - França
Santos 3 x 3 Hamburger (ALE) - Alemanha
Santos 4 x 2 Sheffiel Wednesday (ING) - Inglaterra

1963:

Santos 1 x 1 Partizan Belgrade-IUG - Alemanha
Santos 3 x 2 Seleção de Hannover (ALE) - Alemanha
Santos 2 x 1 Schalke 04 (ALE) - Alemanha
Santos 5 x 2 Eintracht Frankfurt (ALE) - Alemanha
Santos 3 x 1 Stuttgart (ALE) - Alemanha
Santos 0 x 2 BARCELONA (ESP) - Espanha
Santos 4 x 3 Roma (ITA) - Itália
Santos 0 x 2 Inter de Milão - Itália
Santos 0 x 4 Milão - Itália
Santos 3 x 5 Juventus - Itália
Santos 2 x 4 Milan (MUNDIAL) - Itália

1964:

Santos 1 x 3 Borussia Dortmund - França
Santos 1 x 1 Stade de Reims - França
Santos 4 x 3 Saint Etienne - França
Santos 2 x 1 Borussia M'Gladbach - Alemanha

1965:

Santos 1 x 1 Milan-ITA - Estados Unidos

Em 1963, Santos superou o Milan, no Maracanã, e conquistou o bicampeonato mundial (FOTO: Agência Estado) 

São Paulo no exterior nos anos 90, na era de ouro com Telê Santana

1991:

Amistosos na China
São Paulo 2x1 China
São Paulo 0x0 Seleção de Pequim
São Paulo 1x1 Lia Oning
São Paulo 0x1 Dallan
São Paulo 1x2 Guangzhou
São Paulo 2x2 Guangdond

Troféu Naranja
São Paulo 0x0 CEI (ex-União Soviética)
São Paulo 0x1 Valencia

Amistoso na Espanha
São Paulo 4x2 Espanyol

1992:

Troféu Teresa Herrera - campeão
São Paulo 2x2 Peñarol
São Paulo 4x1 Barcelona

Troféu Ramón de Carranza - campeão
São Paulo 2x0 Cádiz
São Paulo 4 x 0 Real Madrid

Amistosos na Espanha
São Paulo 2x1 Espanyol
São Paulo 0x2 Atlético de Madrid

1993:

Torneio Internacional de Santiago - campeão
São Paulo 2x0 U. de Chile
São Paulo 3x0 U. Católica

Amistoso na Espanha
São Paulo 2x0 Sevilla

Troféu Santiago de Compostela - campeão
São Paulo 4x1 Tenerife
São Paulo 2x2 River Plate

Amistoso em Los Angeles
São Paulo 4x3 América-MEX

Amixstoso no México
São Paulo 1x1 Guadalajara

Troféu Tereza Herrera
São Paulo 3x1 Lazio
São Paulo 0x1 Barcelona

Amistoso na Espanha
São Paulo 1x3 Albacete

Troféu Colombino (Espanha) - campeão
São Paulo 1x1 Sampdoria
São Paulo 1x0 Sevilla

Troféu Ramón de Carranza
São Paulo 1x2 Palmeiras
São Paulo 0x2 Atlético de Madrid

1994:

Amistoso em Hong Kong
São Paulo 2x4 South China XI


Palhinha, um dos destaque do glorioso time, no jogo contra o Barcelona no primeiro mundial tricolor (FOTO: Orlando Kissner/AE)

Os rivais Santos e São Paulo deram um tempo no Campeonato Brasileiro, onde ocupam a 9ª e 18ª colocação, respectivamente, e estão em solo europeu para amistosos contra gigantes locais. Ambos os clubes sentem assim um gosto já muito conhecido em suas gloriosas histórias. Bem sucedidos em competições internacionais, foram convidados, nas eras em que tiveram mais prestígio mundial, a participar de disputas no Velho Continente e também em outros cantos do globo. Com o passar do tempo e a mudança do calendário, com os estaduais espremendo as datas , a prática tornou-se escassa. Os dois clubes paulistas, ainda assim, conseguiram brechas para reeditar, em miniatura, seus tempos célebres. 

O São Paulo, que nesta quarta enfrentará o Bayern de Munique pela Copa Audi e ainda disputará troféus em Portugal e Japão, teve nos anos 90, sob a direção do mestre Telê Santana, seus instantes dourados no cenário mundial. Bicampeão da Libertadores e Mundial no biênio 92/93, o clube participou no período de importantes torneios amistosos, como os renomados Teresa Herrera e Ramón de Carranza, com expressivas goleadas sobre a poderosa dupla espanhola Barcelona e Real Madrid. 

Massimiliano Allegri, Guardiola, Pelegrino e Autuori, os técnicos da Copa Audi (FOTO: Christof Stache/AFP)

No ano do primeiro Mundial, a equipe, liderada pelo ídolo Raí, goleou na decisão do Teresa Herrera o Barcelona por 4 a 1, justamente o rival que meses depois voltaria a superar, desta vez por 2 a 1 na final do Mundial de Clubes, para conquistar o até então título mais importante da sua história, no Japão. No ano seguinte, quando faturaria o bicampeonato diante do Milan (3 a 2), faria implacáveis 4 a 1 no Real Madrid, pelo Ramón de Carranza. Naqueles anos, o clube tricolor ainda jogaria torneios em Santiago, no Chile, e Compostela, na Espanha, além de amistosos nos Estados Unidos e no México. Tempos áureos.. 

O Santos, por sua vez, fará um jogo isolado contra a equipe mais festejada na última década, o Barcelona, de Messi, e que agora contará com ninguém menos que Neymar, maior ídolo recente do Alvinegro. A partida, que acontece na sexta-feira pelo tradicional troféu Joan Gamper, será disputada como parte do acordo feito entre santistas e catalães pela negociação do atacante. Além de reeditar a final do Mundial de Clubes de 2011, quando os espanhóis venceram por impiedosos 4 a 0, a oportunidade lembra um pouco os anos 60, quando com Pelé e cia. a equipe fazia longos tours pela Europa. 

No período em que, assim como o São Paulo, conquistou dois títulos mundiais consecutivos, o Peixe passou por uma quantidade assombrosa de países para partidas amistosas. O clube chegou a passar meses longe do Brasil para disputar esses jogos e ganhar cachês. Alemanha. Bélgica, Espanha, França, Grécia, Inglaterra e Portugal estiveram no roteiro para ver a equipe e, principalmente, o Rei do Futebol, que se sagradia no período também bicampeão mundial com a Seleção Brasileira. O time também faria incursões por países de outros continentes, como Costa Rica e Israel. 

Neilton e Montillo chegam a Barcelona para o duelo do Santos contra o time local (FOTO: Divulgação)

Com uma das linhas mais famosas de todos os tempos, o Peixe conseguiu no período vitórias expressivas, como goleadas sobre Inter de Milão, Wolfsburg, Basel e Frankfurt. Nesse mesmo período, o time foi bicampeão mundial derrotando Benfica e Milan nas decisões de 62 e 63. Eram tempos em que o futebol brasileiro permitia longas escapadas de seus clubes para faturar no exterior, já que as transmissões televisivas de jogos não estavam ainda disseminadas e os campeonatos estaduais eram o destaque do calendário. 

A história de Santos e São Paulo mostra que os clubes já são escolados em enfrentar potências internacionais. Nesta semana, poderão relembrar os velhos tempos. 

Santos no exterior nos primeiros anos da década de 60, os tempos dourados:

1960

Santos 4 x 3 Standard Liége - Bélgica
Santos 5 x 2 Sel. Polônia - Polônia
Santos 9 x 1 T.S.V 1860 Munchen (ALE) -Alemanha
Santos 6 x 0 Anderletch (BEL) - Bélgica
Santos 3 x 2 Roma (ITA) - Itália
Santos 0 x 3 Fiorentina (ITA) - Itália
Santos 5 x 3 Stade Reims (FRA) - França
Santos 4 x 1 Racing Paris (FRA) - França
Santos 5 x 2 Gantoise (BEL) -Bélgica
Santos 3 x 1 Sl Antuérpia - Bélgica
Santos 4 x 2 Eintracht - Alemanha Ocidental
Santos 4 x 2 Seleção de Berlim - Alemanha Ocidental
Santos 3 x 1 Stade Reims - França
Santos 2 x 2 Dep. Español - Espanha
Santos 3 x 0 Toulouse - França
Santos 1 x 0 Valencia - Espanha
Santos 3 x 4 Barcelona - Espanha

1961:

Santos 7 x 3 Saprissa-CRI - Costa Rica
Santos 3 x 0 Herediano - Costa Rica
Santos 3 x 2 Bayern de Munique (BEL)- Alemanha Ocidental
Santos 1 x 2 La Gantoise (BEL) - Bélgica
Santos 2 x 2 Anderletch (BEL) - Bélgica
Santos 4 x 4 Standard Liége (BEL) - Bélgica
Santos 8 x 2 Basel (SUI) - Suíça
Santos 6 x 3 Wolfsburg (ALE) - Alemanha Ocidental
Santos 4 x 4 Sel Antuérpia (BEL) - Bélgica
Santos 6 x 1 Racing Paris (FRA - França
Santos 6 x 2 Lyon (FRA) - França
Santos 3 x 1 Sel. Israel - Israel
Santos 5 x 4 Racing Paris - França
Santos 6 x 3 Benfica (POR) - Portugal
Santos 2 x 0 Juventus - Itália
Santos 5 x 0 Roma - Itália
Santps 4 x 1 Inter de Milão - Itália
Santos 8 x 6 Kalrushe (ALE) - Alemanha Oicental
Santos 3 x 0 AEK-GRE - Grécia
Santos 3 x 2 Panathinaikos (GRE) - Grécia
Santos 1 x 2 Olympiakos (GRE) - Grécia

1962:

Santos 0 x 1 Estrela Vermelha-IUG - França
Santos 2 x 3 Racing Paris - França
Santos 5 x 2 Benfica (MUNDIAL) - Portugal
Santos 5 x 2 Racing Paris - França
Santos 3 x 3 Hamburger (ALE) - Alemanha
Santos 4 x 2 Sheffiel Wednesday (ING) - Inglaterra

1963:

Santos 1 x 1 Partizan Belgrade-IUG - Alemanha
Santos 3 x 2 Seleção de Hannover (ALE) - Alemanha
Santos 2 x 1 Schalke 04 (ALE) - Alemanha
Santos 5 x 2 Eintracht Frankfurt (ALE) - Alemanha
Santos 3 x 1 Stuttgart (ALE) - Alemanha
Santos 0 x 2 BARCELONA (ESP) - Espanha
Santos 4 x 3 Roma (ITA) - Itália
Santos 0 x 2 Inter de Milão - Itália
Santos 0 x 4 Milão - Itália
Santos 3 x 5 Juventus - Itália
Santos 2 x 4 Milan (MUNDIAL) - Itália

1964:

Santos 1 x 3 Borussia Dortmund - França
Santos 1 x 1 Stade de Reims - França
Santos 4 x 3 Saint Etienne - França
Santos 2 x 1 Borussia M'Gladbach - Alemanha

1965:

Santos 1 x 1 Milan-ITA - Estados Unidos

Em 1963, Santos superou o Milan, no Maracanã, e conquistou o bicampeonato mundial (FOTO: Agência Estado) 

São Paulo no exterior nos anos 90, na era de ouro com Telê Santana

1991:

Amistosos na China
São Paulo 2x1 China
São Paulo 0x0 Seleção de Pequim
São Paulo 1x1 Lia Oning
São Paulo 0x1 Dallan
São Paulo 1x2 Guangzhou
São Paulo 2x2 Guangdond

Troféu Naranja
São Paulo 0x0 CEI (ex-União Soviética)
São Paulo 0x1 Valencia

Amistoso na Espanha
São Paulo 4x2 Espanyol

1992:

Troféu Teresa Herrera - campeão
São Paulo 2x2 Peñarol
São Paulo 4x1 Barcelona

Troféu Ramón de Carranza - campeão
São Paulo 2x0 Cádiz
São Paulo 4 x 0 Real Madrid

Amistosos na Espanha
São Paulo 2x1 Espanyol
São Paulo 0x2 Atlético de Madrid

1993:

Torneio Internacional de Santiago - campeão
São Paulo 2x0 U. de Chile
São Paulo 3x0 U. Católica

Amistoso na Espanha
São Paulo 2x0 Sevilla

Troféu Santiago de Compostela - campeão
São Paulo 4x1 Tenerife
São Paulo 2x2 River Plate

Amistoso em Los Angeles
São Paulo 4x3 América-MEX

Amixstoso no México
São Paulo 1x1 Guadalajara

Troféu Tereza Herrera
São Paulo 3x1 Lazio
São Paulo 0x1 Barcelona

Amistoso na Espanha
São Paulo 1x3 Albacete

Troféu Colombino (Espanha) - campeão
São Paulo 1x1 Sampdoria
São Paulo 1x0 Sevilla

Troféu Ramón de Carranza
São Paulo 1x2 Palmeiras
São Paulo 0x2 Atlético de Madrid

1994:

Amistoso em Hong Kong
São Paulo 2x4 South China XI


Palhinha, um dos destaque do glorioso time, no jogo contra o Barcelona no primeiro mundial tricolor (FOTO: Orlando Kissner/AE)