icons.title signature.placeholder Alexandre Braz e Rodrigo Ciantar
08/07/2014
07:57

O principal motivo para Sidnei Loureiro ter pedido demissão do cargo de gerente de futebol do Botafogo é a grande exposição que vinha sofrendo diante dos jogadores. A gota d'água foi a promessa não cumprida pela alta cúpula do clube quanto ao pagamento de parte dos atrasados, no início da semana passada. Outros integrantes do departamento de futebol também tinham intenção de sair, sendo que alguns ainda estudam essa possibilidade.

Presente em praticamente todos os treinos, Sidnei é quem vinha fazendo contatos quase que diários com os jogadores alvinegros sobre os atrasados. Era bastante comum observar, após algumas atividades, ele ficar por longos minutos conversando com um ou outro atleta, dando explicações sobre a situação financeira. Algo que já vinha desgastando muito o convívio.

L!TV
> Botafogo empata com Flu e é campeão Carioca Sub-20

Na semana retrasada, foi passado ao grupo que parte dos cinco meses de direitos de imagem em atraso seriam pagos no início da semana seguinte. Promessa não cumprida. E Sidnei Loureiro, que estava à frente nessas conversas com os atletas, teve mais uma vez de dar explicações. Diante disso, os jogadores, irritados, decidiram não viajar para disputar o amistoso contra o Botafogo-PB, em João Pessoa.


Gottardo assumiu o lugar de Sidnei Loureiro (Foto: Toque de Bola)

Situações como essa também têm incomodado outros integrantes do departamento de futebol. Em recentes conversas, outros profissionais manifestaram desejo de pedir demissão junto com Sidnei Loureiro, no último sábado, mas como seria uma mudança drástica, preferiram permanecer, pelo menos por enquanto.

Nos bastidores de General Severiano circula a informação de que Bernardo Arantes, assessor executivo, também pode deixar o clube. Ele é quem também cuida de contratações no Botafogo. Chico Fonseca, vice-presidente de futebol, é outro cotado para sair.