icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/12/2013
17:31

Herói da Ponte Preta no empate por 1 a 1 com o Lanús (ARG), no primeiro jogo da final da Sul-Americana, Fellipe Bastos seguiu as dicas do técnico Jorginho e se inspirou em craques que jogavam com outra bola. A laranja.

– Ele foi confiante, se concentrou. Procuro falar da Hortência, de como se concentrava, e ele fez assim. Por pouco não fez dois – disse o treinador, sobre a cobrança no travessão.

Eleito o melhor jogador da partida, o camisa 15 disse que Michael Jordan também é outro nome que lhe serve de exemplo. E que, antes do jogo, a confiança era grande:

– Na preleção, o Jorginho disse em tom de brincadeira que era hora de eu marcar. O Bakara também disse que eu marcaria, pois tinha treinado bem na terça. Tive duas chances e uma ficou na trave. Estava bem calibrado, então respirei fundo, me concentrei e ajudei.

Ex-atleta da Ponte, onde foi bicampeã Mundial Interclubes em 1993 e 1994, campeã da Taça Brasil em 1993, bicampeã dos Jogos Regionais em 1992 e 1993, bicampeã Paulista em 1992 e 1993 e medalha de ouro nos Jogos Regionais de 1993, a Rainha Hortência elogiou a cobrança:

– Fico feliz. Aquela respirada funda nada mais é do que uma concentração antes de um lance importante. É um momento único, em que é necessário se concentrar para executar corretamente os movimentos.

– Torci muito e acho que a Ponte tem plenas condições de vencer – disse ela, por meio de sua assessoria.