icons.title signature.placeholder Bernardo Cruz e Eduardo Mendes
11/11/2014
07:03

Atacante de beirada de campo de uma geração promissora do Internacional que despontou em 2006, Luiz Adriano seguiu à risca os conselhos do romeno Mircea Lucescu. Técnico do Shakhtar Donetsk desde 2004, ele aprendeu a lapidar os jovens talentos brasileiros que chegam como apostas dos ucranianos desde então. E a certeza de que o jogador faria sucesso como um centroavante agora é confirmada não apenas pelo desempenho avassalador na Champions League, mas também ganhou o crivo do comandante da Seleção Brasileira.

Luiz Adriano redobra-se de cuidados ao tentar defini-lo neste momento. Ciente de que Dunga pôs fim ao tradicional camisa 9 que atua preso dentro da área, o possível novo titular do ataque destaca que a mobilidade é tão eficiente quanto a precisão para marcar.

- Meu técnico queria que jogasse assim. Aos pouco foi me ensinando a jogar de costas. Ele fez o Luiz Adriano de centroavante e foi me colocando nos jogos até que ele viu que estava pronto. Depois, me deu uma sequência maior - contou o jogador ao L!Net.

A despeito da nova função, Luiz Adriano lembra que o fato de ter iniciado no futebol como segundo atacante contribuiu também para que ele não perdesse a velocidade após a mudança.

- No Inter era um atacante de movimentação pelos lados. Mudei muito, sou outro jogador, mas cresci muito nesta posição. Isso foi importante para mim. Estou há sete anos e meio no Shakhtar e o trabalho está indo muito bem - avaliou.

Prestes a pulverizar o recorde de Cristiano Ronaldo e torna-se o jogador com maior número de gols na primeira fase da Champions League - ele tem nove e terá ainda mais dois jogos para superar o melhor do mundo - Luiz Adriano acredita que chega à Seleção no momento ideal.

Mais do que os recordes atingidos, entre eles tornando-se o maior artilheiro da história do clube ucraniano, o atacante quer usar a maturidade dos 27 anos para se inserir no processo de reformulação feito por Dunga, visando a Copa de 2018.

- Chego em um momento certo e importante da minha carreira. Estou jogando bem e fazendo gols. E será bem importante o amadurecimento na Seleção. Tem tudo para dar certo com trabalho e dedicação que teremos nestes dois amistosos - apostou.

ATACANTE PROJETA SEGUIR PASSOS DE COMPANHEIROS

Os gols de Luiz Adriano não despertaram a atenção apenas do técnico Dunga, mas também de grandes europeus, entre eles a Juventus, da Itália. Nas últimas semanas, ofertas divulgadas pela imprensa europeia cravam propostas de até R$ 94 milhões. O assédio não surpreende o atacante. Apesar da gratidão que tem ao Shakhtar Donetsk, o jogador acredita que em breve deverá seguir os caminhos de Willian e Fernandinho, que saíram da Ucrânia e foram para o futebol inglês.

- Todo mundo sonhar em jogar uma liga importante como aconteceu com Willian e Fernandinho. O sonho continua de um dia poder jogar em um clube assim. Com essa oportunidade de ir para a Seleção... Quem sabe possa surgir algo. Muito importante é manter o sonho pelos nossos objetivos - destacou.

Na época em que foi negociado pelo Inter, o Shakhtar Donetsk desembolsou pouco mais de R$ 10 milhões para ter o jogador em definitivo.

BATE-BOLA

1- Você observou que Dunga não joga como um atacante de referência, certo? Como poderá desempenhar seu papel na atual configuração do time?

Ele está testando várias formas de jogar com o falso atacante. Pode ser que jogue com um centroavante fixo também. Não sou fixo, me movimento muito nos jogos.

2- Qual foi sua referência quando ainda estava na base do Internacional?

Tinha como referência Romário e Ronaldo, por exemplo. Sempre foram referências na Seleção Brasileira e fizeram uma carreira brilhante na Europa.

3- Como avalia o processo de renovação de Dunga no Brasil?

Está sendo muito importante. Os jogadores chamados estão tendo a oportunidade de mostrar o futebol. Tenho muito a aprender e aproveitar essa convocação para isso. Quero mostrar meu trabalho.

4- O que esperar de uma possível parceria com Neymar?

Vai facilitar meu jogo. Não só Neymar, mas tem Willian, Oscar e Coutinho, que são jogadores de muita qualidade. É importante também ter esse tipo de jogador dentro da Seleção para dar suporte a quem está chegando.


SUPER LUIZ ADRIANO

Geração promissora

Jogador foi revelado pelo Inter na mesma safra que tinha Alexandre Pato e Taison

Título e proposta

Ajudou o Colorado a ganhar o Mundial de clubes e, no ano seguinte, foi negociado com o Shakhtar Donetsk

Recordes

Com 20 gols no acumulado na Champions League, superou Ronaldinho Gaúcho e Juninho Pernambucano


COM A PALAVRA

Jorge Macedo - diretor da base do Inter e atual executivo do profissional

Ele chegou ao Inter no primeiro ano de juvenil com 15 para 16 anos. Era um jogador de muita velocidade, segundo atacante. Chamou a nossa atenção em uma semifinal de Campeonato Gaúcho infantil, quando estava no Juventude. Com 17, 18 anos já estava titular do nosso time B. Depois, foi para o profissional e com a entrada do Pato no time, jogou mais centralizado. Mas era um atacante que atuava nas duas posições. Sempre acompanhamos o desempenho dele. Está muito bem na Ucrânia. E fora de campo é um jogador tranquilo, dedicado e que nunca nos deu qualquer tipo de problema.