icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
15/06/2014
11:18

A Argentina estreia na Copa do Mundo neste domingo, às 19h, no Maracanã. O primeiro adversário é a Bósnia e Herzegovina, único rival europeu no grupo F – Irã e Nigéria são os outros. E aí que está o perigo para Messi, Dí Maria & Cia. Há 24 anos, o Velho Continente parece assombrar os hermanos no mais importante dos torneios.

Desde de o último título na Copa do Mundo, em 1986, a Argentina passou a ser eliminada por europeu. A sequência impressiona: Alemanha (1990), Romênia (1994), Holanda (1998), Suécia (2002), Alemanha (2006) e Alemanha (2010).

O fantasma europeu é tão real para a Argentina quanto à falta de tradição do rival desta tarde no Maracanã. É impossível comparar a Bósnia e Herzegovina com qualquer um dos algozes anteriores, afinal, será a primeira participação do pequeno país em Mundiais – anteriormente a seleção atuava como Iugoslávia que, devido à uma série de conflitos na região, se desmembrou em seis países.

Mesmo diante de um rival bem menos poderoso, os jogadores argentinos demonstraram preocupação com a pressão da obrigação de vencer e de jogar bem pelo fato de se ter Lionel Messi como aliado.

– A história e os jogadores que temos, entre eles o melhor do mundo, fazem com que nos vejam como um dos favoritos na Copa – afirmou o zagueiro Ezequiel Garay, em entrevista coletiva durante a semana no CT do Atlético-MG, local de treinos e concentração no Brasil.

16 anos depois...
A última vez que a Argentina atuou no Rio de Janeiro foi há 16 anos. O amistoso, disputado no Maracanã, terminou com vitória da equipe de Sensini, Zanetti, Simeone, Verón, Batistuta & Cia.: 1 a 0.

O FANTASMA EUROPEU DOS HERMANOS:

Alemanha (1990)
A seleção argentina chegou à decisão, mas ficou sem o título. Depois de eliminar Itália, Iugoslávia e Brasil, perdeu para a Alemanha Ocidental (1 a 0)

Romênia (1994)
Os hermanos não tiveram trabalho na primeira fase, mas foram eliminados logo no primeiro mata-mata, após perderem por 3 a 2.

Holanda (1998)
Queda, desta vez, foi nas quartas de final. Os gols de Bergkamp e Kluivert colocaram fim à esperança dos argentinos, que se viram fora de novo.

Suécia (2002)
Eliminação, desta vez, ocorreu na primeira fase. A seleção argentina precisava ganhar dos europeus, mas não passaram de um empate, por 1 a 1. Era o fim.

Alemanha (2006)
Após empate no tempo normal, por 1 a 1, a vaga na semifinal foi decidida nos pênaltis. E a maldição europeia, mais uma vez, se fez presente: 4 a 2.

Alemanha (2010)
A Argentina voltou de novo para casa mas, desta vez, com requintes de crueldade após uma goleada histórica: 4 a 0.