icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
27/11/2014
00:36

O Atlético-MG conquistou mais um título importante no mata-mata: a Copa do Brasil de 2014. Nos últimos dois anos, a equipe mineira se acostumou a vencer competições desse estilo, ganhando a alcunha de time "copeiro". E aí fica a pergunta: quando o Galo começou a dominar o mata-mata no futebol brasileiro? Confira a retrospectiva:

Copa Libertadores de 2013

Atlético-MG x São Paulo - Oitavas de final

O Galo voltava à Libertadores após 13 anos. Na fase de grupos, venceu todos os confrontos, exceto o último, justamente contra o São Paulo. E os times voltaram a se encontrar no mata-mata. Antes do jogo, muito se falou sobre a camisa pesada do Tricolor paulista, tricampeão da Libertadores, e da inexperiência do Galo na competição. Que nada: o Atlético venceu os dois jogos (2 a 1 no Morumbi e 4 a 1 no Horto), avançando às quartas de final.

Atlético-MG x Tijuana (MEX) - Quartas de final

O bom resultado no primeiro jogo (2 a 2 jogando fora de casa) não dava a impressão de que o Atlético teria dificuldades para garantir a classificação para as semifinais. Ledo engano. O Tijuana abriu o placar e levou os torcedores do Galo ao desespero. O empate veio e a vaga estava encaminhada até que, aos 47 minutos do segundo tempo, o juiz marca pênalti para o Tijuana. O gol da equipe mexicana eliminaria a equipe mineira, mas São Victor defendeu. Atlético na semifinal.


Atlético-MG x Newells Old Boys (ARG) - Semifinal

Um primeiro jogo ruim fora de casa e o Galo se viu obrigado a correr atrás de uma desvantagem pela primeira vez na Libertadores. Tendo perdido na Argentina por 2 a 0, a equipe mineira buscou igual resultado no jogo da volta, levando a decisão para os pênaltis. Novamente, Victor garante a vaga. É Galo na final.

Atlético-MG x Olímpia (PAR) - Final

O Atlético entrava em uma final inédita, com um jejum de 16 anos sem títulos internacionais (o último havia sido a Copa Commebol de 1997). Um time que convivia com um jejum de conquistas importantes. E a primeira partida da final, com os 2 a 0 para o Olímpia no Paraguai, levantou novamente a questão: teria o Galo a alma de campeão? Teria. Jogo da volta, o Galo "repete" a fórmula diante do Newells, com direito a gol aos 41 minutos do segundo tempo de Leonardo Silva. E novamente, pênaltis pela frente. Na última cobrança do Olimpia, o jogador paraguaio erra e o Galo levanta a taça. Nascia o Rei do mata-mata.


RECOPA SUL-AMERICANA 2013:

Atlético-MG x Lanus (ARG) - Recopa Sul-Americana

Na decisão da Recopa, contra o Lanús, o Galo novamente mostrou sua gana "copeira": venceu o primeiro jogo, fora de casa, por 1 a 0 e vinha levando o título, em casa, com certa tranquilidade, chegando até a fazer o primeiro gol. O Lanús acordou, virou o jogo e trouxe emoção à decisão. O Atlético empatou novamente e tudo parecia seguir para a conquista alvinegra quando, aos 46 minutos do segundo tempo, o Lanús fez 3 a 2, levando o jogo para prorrogação. Normalmente, quando o time que está com a mão na taça leva o gol nos instantes finais, o emocional da equipe acaba se perdendo. Com o Galo, não. O time jogou a prorrogação com a faca entre os dentes, empatando e até virando a partida. Mais uma taça para os copeiros.

COPA DO BRASIL 2014

Atlético-MG x Palmeiras - Oitavas de final

Após ter entrado nas oitavas por ter disputado a Libertadores de 2014, o Galo enfrentou o Verdão logo de cara na Copa do Brasil. A equipe mineira venceu os dois jogos com tranquilidade e avançou para as quartas de final.

Atlético-MG x Corinthians - Quartas de final

A magia atleticana dos mata-matas voltou a dar o ar de sua graça no confronto contra o Timão. No primeiro jogo, o Galo foi facilmente envolvido pelo time paulista, perdendo por 2 a 0 na Arena Corinthians. No segundo jogo, levou gol. Precisaria fazer 4. Impossível? Não para o Rei do Mata-Mata: o Galo fez 4 a 1 e foi para a semifinal.

Atlético-MG x Flamengo - Semifinal

O filme se repetiu, mas dessa vez com um adversário diferente. Uma partida apática no Maracanã, derrota do Galo por 2 a 0 e tomando gol na partida da volta. O raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Não caía, até conhecer o Atlético-MG. Novamente, a equipe fez do Mineirão sua panela de pressão, encurralou o Flamengo e fez os quatro gols que deram a vaga na final para o Galo.

Atlético-MG x Cruzeiro - Final

 Alguém duvidava? Dessa vez, sem sofrimento. Sem virada. E com domínio total sobre o rival, atual campeão brasileiro. No Hoto, na partida de ida, vitória atleticana por 2 a 0. No jogo de volta, no Mineirão, novo baile na Raposa, vitória por 1 a 0 e título inédito da Copa do Brasil.