icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/08/2015
11:24

O Chelsea encarou o West Bromwich na terceira rodada da Premier League, neste domingo, fora de casa. Vindo de uma goleada sofrida para o Manchester City, no último fim de semana, os Blues estavam dispostos a provar que possuem todas as condições para conquistar o bicampeonato inglês. Para isso, uma vitória seria essencial. E graças a bela atuação do recém-chegado Pedro, o Chelsea conseguiu vencer o confronto por 3 a 2.

A semana no Chelsea foi marcada por tensão. José Mourinho expôs toda sua insatisfação com o fraco desempenho mostrado por sua equipe e pontuou quais jogadores estavam devendo em campo. Para mudar o cenário, o treinador lançou no time o espanhol Pedro, recém-contratado junto ao Barcelona, para formar dupla de ataque com Diego Costa.

Os primeiros minutos contra o West Brom já mostravam o nervosismo vivido pelos jogadores do Chelsea. Passes errados no meio-campo, defesa chegando atrasada e faltas. Os donos da casa se aproveitaram das falhas e se lançaram ao ataque. Em sua primeira investida, Dawson deixou Azpilicueta para trás e lançou na área, a bola passou pela zaga, mas Courtois apareceu para salvar de soco.

O Chelsea tentava chegar ao ataque, mas sem sucesso. Lá atrás, a defesa seguia instável. Em pedelada de McManaman, Matic chegou atrasado e derrubou o meia dentro da área. Pênalti para o West Brom. Na cobrança, Morrison bateu no meio do gol, Courtois pulou para esquerda, mas conseguiu salvar com a perna.

A defesa do goleiro animou os Blues, que passaram a trabalhar melhor a bola e aos poucos já dominavam a partida. Na primeira bola trabalhada no ataque, o Chelsea abriu o marcador. Pedro tabelou com Hazard, recebeu na boa para chutar, a bola desviou no zagueiro e morreu no fundo do gol aos 20 minutos.

Pedro sai para o abraço após abrir o marcador (Foto: Reprodução/Chelsea)

Com amplo domínio de posse de bola, o Chelsea já chegava com facilidade. Aos 29, após belo passe de Willian, Pedro chutou cruzado, a bola passou pela defesa e Diego Costa apareceu de carrinho para marcar. Mesmo em desvantagem no placar, os donos da casa mostravam garra e na primeira bola trabalhada, o West diminuiu. Em cruzamento na área, Rondón acertou um passe de voleio para Morrison soltar a pancada, sem chances para Courtois.

Ambos os times buscavam o gol e a partida seguia longe de ser definida. Em lançamento de Fàbregas, Diego Costa tentou dominar de peito, mas o que seria uma falha se tornou uma boa ajeitada de bola. Azpilicueta chegou de trás e chutou forte para ampliar o marcador.

Na volta do intervalo, o Chelsea acabou ganhou um problemão. Terry foi expulso após puxar Rondón, que chegaria sozinho na cara do goleiro. Com a vantagem numérica, o West conseguiu fazer mais um gol, novamente com Morrison. O inglês acertou uma cabeçada de costas, pegando toda a defesa adversária desprevinida. Courtois, adiantado no lance, nada pode fazer.

Sabendo que seria difícil matar o jogo, o Chelsea trabalhou a bola, inventindo na troca de passes e gastando o tempo até o fim dos 90 minutos, garantindo assim sua primeira vitória na Premier League.



O Chelsea encarou o West Bromwich na terceira rodada da Premier League, neste domingo, fora de casa. Vindo de uma goleada sofrida para o Manchester City, no último fim de semana, os Blues estavam dispostos a provar que possuem todas as condições para conquistar o bicampeonato inglês. Para isso, uma vitória seria essencial. E graças a bela atuação do recém-chegado Pedro, o Chelsea conseguiu vencer o confronto por 3 a 2.

A semana no Chelsea foi marcada por tensão. José Mourinho expôs toda sua insatisfação com o fraco desempenho mostrado por sua equipe e pontuou quais jogadores estavam devendo em campo. Para mudar o cenário, o treinador lançou no time o espanhol Pedro, recém-contratado junto ao Barcelona, para formar dupla de ataque com Diego Costa.

Os primeiros minutos contra o West Brom já mostravam o nervosismo vivido pelos jogadores do Chelsea. Passes errados no meio-campo, defesa chegando atrasada e faltas. Os donos da casa se aproveitaram das falhas e se lançaram ao ataque. Em sua primeira investida, Dawson deixou Azpilicueta para trás e lançou na área, a bola passou pela zaga, mas Courtois apareceu para salvar de soco.

O Chelsea tentava chegar ao ataque, mas sem sucesso. Lá atrás, a defesa seguia instável. Em pedelada de McManaman, Matic chegou atrasado e derrubou o meia dentro da área. Pênalti para o West Brom. Na cobrança, Morrison bateu no meio do gol, Courtois pulou para esquerda, mas conseguiu salvar com a perna.

A defesa do goleiro animou os Blues, que passaram a trabalhar melhor a bola e aos poucos já dominavam a partida. Na primeira bola trabalhada no ataque, o Chelsea abriu o marcador. Pedro tabelou com Hazard, recebeu na boa para chutar, a bola desviou no zagueiro e morreu no fundo do gol aos 20 minutos.

Pedro sai para o abraço após abrir o marcador (Foto: Reprodução/Chelsea)

Com amplo domínio de posse de bola, o Chelsea já chegava com facilidade. Aos 29, após belo passe de Willian, Pedro chutou cruzado, a bola passou pela defesa e Diego Costa apareceu de carrinho para marcar. Mesmo em desvantagem no placar, os donos da casa mostravam garra e na primeira bola trabalhada, o West diminuiu. Em cruzamento na área, Rondón acertou um passe de voleio para Morrison soltar a pancada, sem chances para Courtois.

Ambos os times buscavam o gol e a partida seguia longe de ser definida. Em lançamento de Fàbregas, Diego Costa tentou dominar de peito, mas o que seria uma falha se tornou uma boa ajeitada de bola. Azpilicueta chegou de trás e chutou forte para ampliar o marcador.

Na volta do intervalo, o Chelsea acabou ganhou um problemão. Terry foi expulso após puxar Rondón, que chegaria sozinho na cara do goleiro. Com a vantagem numérica, o West conseguiu fazer mais um gol, novamente com Morrison. O inglês acertou uma cabeçada de costas, pegando toda a defesa adversária desprevinida. Courtois, adiantado no lance, nada pode fazer.

Sabendo que seria difícil matar o jogo, o Chelsea trabalhou a bola, inventindo na troca de passes e gastando o tempo até o fim dos 90 minutos, garantindo assim sua primeira vitória na Premier League.