icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira
03/02/2015
08:13

Com muita experiência na bagagem, o técnico René Simões pegou aquele que chama de "maior desafio da carreira": recolocar o Botafogo na Série A. E para ajudar a conseguir tal feito, ele conquistou os jogadores com amizade e companheirismo, para que eles botem o acesso como principal objetivo na cabeça. Tantas resenhas, reservadas ou em grupo, fizeram com que alguns jogadores o chamassem de "paizão".

– Ele tem um estilo de mostrar transparência mesmo. Fala a nossa língua, deixa a gente colocar nossas opiniões... Gosto do trabalho dele. Ele sempre nos dá a oportunidade de chegar nele e falar algo – afirmou o lateral-direito Gilberto.

A primeira medida popular dele foi dar um dia de folga ao elenco logo no início da preparação do grupo para 2015. Após o jogo-treino contra o Gonçalense – o primeiro do ano –, os jogadores ganharam um dia de descanso e a autorização para irem ao Rio de Janeiro no domingo, algo incomum de se ver numa pré-temporada.

Outro acontecimento na preparação que o fez ganhar pontos com os jogadores foi a ida de sambistas até Várzea das Moças, em Niterói, para cantar músicas relativas ao Botafogo para os atletas. Nas imagens divulgadas pelo clube, René também se solta e vai pular com os atletas.

Com tamanha parceria, o técnico ganhou o direito de cobrar com mais veemência. É comum ver René criticar alguém após uma jogada errada. Porém, ele também não deixa de aplaudir os acertos.

– O René cobra bastante e trabalha muito forte. Quando acaba o treino, ele sempre conversa com a gente – disse Gilberto, ontem.

Que o "Papai René" consiga levar a Estrela Solitária ao topo.