icons.title signature.placeholder Renato Rodrigues
14/04/2014
15:05

A ficha de Elias parece que, aos poucos, vai caindo. Depois do alívio pela saída do Sporting (POR) e da felicidade de retornar ao Corinthians, o volante demonstrou chateação por ter de esperar tanto tempo pela reabertura da janela de transferência internacional antes de poder voltar a campo pelo Timão.

No início da tarde desta segunda-feira, durante um evento de Páscoa no Parque São Jorge, o camisa 7 comentou o fato de ser obrigado a esperar o fim da Copa do Mundo para ter condições legais de reestrear pela equipe - perderá as nove primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro deste ano.

- Esperar muito, né?! Esses nove jogos vão demorar para passar. Vou trabalhar, focar, sei que a cobrança em cima de mim vai ser grande, tenho que estar preparado para isso - afirmou.

- É bom ter um pouco de ansiedade. Não posso esquecer de trabalhar, fazer as coisas como devem ser feitas. Tenho que trabalhar, a cobrança vai ser enorme. Eu tenho que corresponder toda essa expectativa - completou.

Outra ficha que caiu foi a de que ele terá de ser mesmo um dos astros da equipe de Mano, com uma cobrança que nem de longe ocorreu na primeira passagem, entre os anos de 2008 e 2010.

- Eu fui coadjuvante na primeira passagem, tinham grandes jogadores, estrelas do futebol mundial, que davam a cara. Eu, voltando, assumo essa responsabilidade, fiz isso no Flamengo no ano passado, sendo um dos líderes do elenco, aqui vou tentar conquistar isso também. Quero passar toda a experiência que tive nesses anos - lembrou.

Questionado sobre o evento de Páscoa, promovido pela ação social Time do Povo, o volante afirmou estar feliz pela chance de conviver e dar alegria as crianças na entrega dos ovos de Páscoa.

- Emoção muito grande para mim e para eles. Eu tenho uma responsabilidade social na minha comunidade, o Corinthians ajudando, fico feliz. O Corinthians está com o lema que o Barcelona tem, "mais que um clube". O Corinthians é mais que um clube ajudando essas crianças - afirmou.

- Acho que a grande maioria tinha três anos, não lembra muita coisa... Elas vieram mais pelo ovo de Páscoa mesmo (risos). Mas o que vale é a festa, o que vale é deixá-los felizes - completou Elias, brincando com o fato de ter sido o "chamariz" do evento.

Por fim, o volante do Corinthians falou sobre o fato de, no ano passado, o "astro" do evento de Páscoa ter sido Alexandre Pato, que não vingou no Parque São Jorge.

- Não falo dele, falo de mim. Se eu for o coelho da sorte, vou trabalhar para que seja isso mesmo, para que eu possa dar alegria aos torcedores - declarou.