icons.title signature.placeholder Renato Rodrigues
icons.title signature.placeholder Renato Rodrigues
16/07/2013
12:01

Ídolo recente da torcida do Timão, a vida de Paulinho no clube não foi só de bons momentos. Por motivos táticos, o próprio Tite já precisou sacá-lo do time titular, mesmo ele vivendo um bom momento na época, em meados de 2011.

Ao contar a história, o treinador ressaltou a paciência do volante para retomar a titularidade e virar um dos melhores jogadores do país. O ex-camisa 8 acabou de seguir para o Tottenhan (ING), vendido pelo Corinthians por cerca de R$ 59 milhões.

– Eu tinha Paulo, Jucilei e Ralf. Precisava de um time que atacasse mais e tinha de tirar um. Eu disse: “Paulinho, você está jogando bem, assumo na sua frente, mas eu vou ter de lhe tirar“. Eu sabia que era jogador a médio prazo. Mas ele ficou chateado: “Pô, professor, estou bem!”. Eu disse para ele trabalhar. Mas não deu nem dois meses e ele virou titular. Quando chegou a proposta pelo Jucilei (do Anzi, da Rússia, em 2011) eu disse: “Vendam! Já tenho o cara” - revelou o treinador, em entrevista ao LANCE!Net.

Para Tite, Paulinho foi o melhor jogador do Brasil no primeiro semestre deste ano, superando até o craque Neymar. Ambos foram os destaques da Copa das Confederações, conquistada pela Seleção Brasileira, no mês de junho. O jeito, agora, é se reestruturar sem o jogador.

– O primeiro semestre dele foi melhor do que o do Neymar. Ele era o melhor do país. É a minha opinião. Jogou mais... Os dois foram o destaque da Copa da Confederações, mas nos clubes foi mais o Paulinho. Agora é ajustar, tentar novamente o encaixe - concluiu.

Ídolo recente da torcida do Timão, a vida de Paulinho no clube não foi só de bons momentos. Por motivos táticos, o próprio Tite já precisou sacá-lo do time titular, mesmo ele vivendo um bom momento na época, em meados de 2011.

Ao contar a história, o treinador ressaltou a paciência do volante para retomar a titularidade e virar um dos melhores jogadores do país. O ex-camisa 8 acabou de seguir para o Tottenhan (ING), vendido pelo Corinthians por cerca de R$ 59 milhões.

– Eu tinha Paulo, Jucilei e Ralf. Precisava de um time que atacasse mais e tinha de tirar um. Eu disse: “Paulinho, você está jogando bem, assumo na sua frente, mas eu vou ter de lhe tirar“. Eu sabia que era jogador a médio prazo. Mas ele ficou chateado: “Pô, professor, estou bem!”. Eu disse para ele trabalhar. Mas não deu nem dois meses e ele virou titular. Quando chegou a proposta pelo Jucilei (do Anzi, da Rússia, em 2011) eu disse: “Vendam! Já tenho o cara” - revelou o treinador, em entrevista ao LANCE!Net.

Para Tite, Paulinho foi o melhor jogador do Brasil no primeiro semestre deste ano, superando até o craque Neymar. Ambos foram os destaques da Copa das Confederações, conquistada pela Seleção Brasileira, no mês de junho. O jeito, agora, é se reestruturar sem o jogador.

– O primeiro semestre dele foi melhor do que o do Neymar. Ele era o melhor do país. É a minha opinião. Jogou mais... Os dois foram o destaque da Copa da Confederações, mas nos clubes foi mais o Paulinho. Agora é ajustar, tentar novamente o encaixe - concluiu.