icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
11/04/2014
08:00

Rodolfo, 20 anos, não foi contratado para ser titular. Revelação das categorias de base do Rio Claro, o atacante não havia feito sequer uma partida como profissional antes de chegar ao Palmeiras. Mas a torcida ainda tenta entender porque o primeiro jogador anunciado para o ano do centenário jogou só 20 minutos até aqui.

- É a marcação, eu peco muito. Com a bola eu jogo, mas sem ela às vezes eu esqueço de marcar. O Gilson me fala que, com a bola, sou um excelente jogador. Só falta marcar, aí eu vou começar a jogar - explicou o garoto, em entrevista ao LANCE!Net.

Embora não esteja entre os reforços mais festejados para a temporada, Rodolfo não desperta a curiosidade da torcida por acaso. Ele foi o artilheiro do Paulista Sub-20 do ano passado pelo Rio Claro, eliminado na semifinal pelo Botafogo-SP: foram incríveis 24 gols em 24 jogos. A diretoria da equipe do interior ainda dizia ter sondagens de PSV (HOL) e Stuttgart (ALE).

E ele falava grosso: em dezembro, logo depois de firmar com o Palmeiras um contrato válido por cinco anos, avisou ao LANCE! que tentaria marcar 25 gols em 2014. Hoje, diz que a meta ousada foi fruto da empolgação, assim como ter se referido ao clube como “Palmeiras FC” nas redes sociais.

- No começo eu me equivoquei porque foi muita pressão, muito jornal, muita TV. Fiquei meio assustado e fui falando as coisas no impulso, como foi o Palmeiras FC. Eu reconheci que errei, agora já sei a história da Sociedade Esportiva Palmeiras - assumiu o camisa 29, que já não faz projeção de redes balançadas neste ano: "Deixa levar".

Além de Leandro e Alan Kardec, dupla titular, Gilson Kleina já deu algumas chances a quatro jogadores: Vinicius – hoje emprestado ao Vitória –, Patrick Vieira, Diogo e Miguel. A expectativa de Rodolfo, que julga ter ido bem nos minutos em que esteve em campo na vitória por 2 a 0 sobre a Portuguesa, é ser mais utilizado no Brasileirão.

- Claro que eu queria jogar mais, mas sei que sou novo, e que iria chegar e pegar experiência para começar a jogar. Estou trabalhando.

 Rodolfo comenta emoção de sua estreia pelo Palmeiras

Confira um bate-bola com Rodolfo:

LANCE!Net: Assim que acertou com o Palmeiras, você sonhava em ser o melhor do mundo. Mantém o desejo?
Rodolfo: Mantenho, claro. Tem que ter o sonho, né? Quem sabe? É muito difícil, mas tem que trabalhar.

Para o torcedor que ainda não te conhece: quais é sua característica?
No Rio Claro a gente não jogava com um atacante de referência. Quando ficaram sabendo que eu era camisa 9, acharam que eu era centroavante, mas eu fico mais pela direita, nunca fui centroavante.

Você se inspira em alguém?
Tem vários jogadores. O Lucas, do PSG, é um atacante de muita velocidade que joga pelas beiradas, assim como eu. Tem vários.

Você observa atletas mais velhos para aprender coisas novas?
Muito. Vejo a vontade do Alan Kardec para marcar. Às vezes ele está lá na zaga dando carrinho. É uma coisa que eu aprendi.

O que o Gilson te fala sobre ter mais chances no Brasileirão?
Ele sempre elogia, procura conversar e nunca me deixou de lado. Fico feliz. Ele sempre está corrigindo os erros e fala que na hora certa vai me dar oportunidade.

Outros atacantes:

Vinicius
Antes de ir ao Vitória, atuou em dez jogos em 2014, com 409 minutos. Nenhum gol.

Patrick Vieira
Depois de um longo período encostado, fez seis jogos, um gol e 227 minutos.

Diogo
Sofre com lesões e vai completar dois meses fora. Seis jogos e 223 minutos. Sem gols.

Miguel
Único centroavante reserva, atuou em três jogos e fez um gol: 180 minutos jogados.

Leandro
Tem 12 jogos no ano, dois gols, e é o titular pela beirada do campo: 728 minutos.

Alan Kardec
Artilheiro do ano com nove gols em 16 jogos. Titular absoluto: 1.391 minutos em campo.