icons.title signature.placeholder Bruno Giufrida e Marcelo Braga
14/11/2013
09:08

Thiago Ribeiro já anotou um gol no Pacaembu. A reação, porém, foi de silêncio total nas arquibancadas. Atacante promessa do Rio Branco de Americana, o ainda garoto de 17 anos fez o de honra na derrota por 2 a 1 para o Corinthians, no Campeonato Paulista de 2004.

Dali em diante, voltou ao estádio Paulo Machado de Carvalho pelo São Paulo e pelo Cruzeiro, em jogos dos mais variados campeonatos. E não conseguiu voltar a marcar.

Nesta quinta-feira, às 19h30, contra o Bahia, em jogo com transmissão em tempo real pelo LANCE!Net , o camisa 9 faz o seu segundo jogo pelo Peixe no estádio e, como mandante, espera dessa vez ouvir o grito da torcida caso marque no jogo – contra a Ponte Preta, na vitória por 2 a 1, em outubro, passou em branco.

– Como já tem muito tempo que não faço um gol lá, espero que diante do Bahia saiam os gols e que possamos voltar a vencer – disse.

Isso porque, quando ele marca, o Santos sempre vence. Em 22 jogos que disputou até o momento com a camisa alvinegra, foi às redes em seis deles, em quatro estádios diferentes: Vila Belmiro (três vezes), Maracanã, Estádio do Vale e Arena Pernambuco.

Pé quente que faltou nos últimos três jogos, quando ficou afastado para tratar de um edema muscular na coxa esquerda. Sem ele, a equipe do técnico Claudinei Oliveira empatou por 1 a 1 com o Corinthians, perdeu por 1 a 0 para o líder Cruzeiro e voltou a empatar, mas por 2 a 2, contra o Vasco. Sem contar com gol de nenhum atacante.

Hoje experiente, aos 27 anos e com passagens pelo futebol europeu, ele sabe de sua importância:

– Procuro sempre dar opção. Às vezes estou mais à esquerda, que é onde gosto de jogar, mas não fico fixo ali. Quando a bola está do lado contrário, entro na área e por isso venho fazendo gols. Procuro fazer essas movimentações porque é esse tipo de jogada que te leva a fazer gols. Olhando, parece que estou longe do gol, mas consigo chegar bem em situação de fazê-los – diz.

Com chances remotas de se classificar para a Copa Libertadores, o Santos quer reencontrar o caminho das vitórias diante dos baianos para retornar ao pelotão de frente nas últimas rodadas. Missão que passa pelo pés de Thiago Ribeiro.