icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
18/12/2013
07:23

De volta à Libertadores após 17 anos, o botafoguense já imagina o time repetindo o feito do Atlético-MG, em 2013. Depois de muito tempo sem disputar a competição, montou um elenco forte e conquistou o torneio.

Contudo, a diretoria do Glorioso já afirmou mais de uma vez que os investimentos serão dentro da atual realidade financeira do clube. Ou seja, modestos.

Mas o que será necessário ao time que terminou o Brasileiro na quarta colocação para ser considerado um candidato ao título inédito?

Para tentar responder a esta pergunta, o LANCE!Net consultou os especialistas Roberto Assaf e Alvaro Oliveira Filho. E ambos foram contundentes ao opinar: o ataque é o setor mais carente da equipe.

– Sem dúvidas, o ataque é o setor mais carente do Botafogo. Acredito que a diretoria precise trazer dois atacantes de peso, prontos para jogar – recomendou Assaf.

– Se tivesse que escolher uma posição (para reforçar o elenco), eu escolheria um segundo atacante pelos lados, depois as laterais, onde o Botafogo tem muita quantidade, porém pouca qualidade – disse Alvaro.

Com uma folha salarial de cerca de R$ 4,5 milhões, o clube teme perder jogadores para o próximo ano.

Em entrevista ao LANCE!Net, no último domingo, o presidente Mauricio Assumpção falou sobre a possibilidade da chegada de reforços.

— Quem conhece o trabalho dessa diretoria, sabe o que vai acontecer. A qualificação gradual do elenco tem sido feita. Já renovamos com Edilson e Bolívar. Não vai ser diferente agora – disse.

Por enquanto, o Glorioso tem apenas um reforço para a Libertadores: Jorge Wagner. O meia de 35 anos deve se apresentar ao clube no início de 2014 com o restante do elenco, visando à preparação para a fase preliminar da Libertadores.