icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/03/2014
21:11

Rivaldo completou 900 jogos em sua carreira e decidiu se aposentar do futebol no Mogi Mirim. Clube que, não foi o primeiro, mas foi quem apresentou o craque ao mundo do futebol durante o Carrossel Caipira em 1992. O LANCE!Net ouviu especialistas, que falaram sobre o que Rivaldo deixou como legado em seus 24 anos de carreira como profissional.

João Carlos Assumpção:

"Sempre achei ele um pouco ressentido com a imprensa, que sempre colocou a glória em Ronaldo. Mas foi um tremendo jogador. Em 2002 achei ele espetacular, lembro de uma entrevista minha com ele. Conversamos umas duas horas, ele sentia pela imprensa, por ser tímido, que acabava ficando em segundo plano. Ele achava que rendeu muito mais pela Seleção do que falavam. As pessoas não comentavam muito sobre ele, era o que ele dizia.

Acho que a a timidez ofuscava ele nos clubes também. Ele tinha muito potencial para vender, vendia menos por ser tímido. Acho que é o mesmo motivo que faz o Cristiano Ronaldo vender muito mais que o Messi. O Rivaldo não era bom de marketing, assim como o Messi.

E MAIS:
> Com 417 gols na carreira, Rivaldo parou com jejum de mais de um ano
> Você acredita que o Rivaldo merecia uma despedida na Seleção Brasileira?
> Campeão do mundo em 2002, Rivaldo anuncia aposentadoria: 'Chegou ao fim'

L!TV:
> Polêmicas e mágoas! Relembre os últimos anos da carreira de Rivaldo

Se não fosse ele nao conquistávamos a Copa em 2002. É um direito dele ter se aposentado tarde, mas esticar a carreria prejudicou a imagem, porque no final nao foi tão bem. Mas não apaga o que ele fez, óbvio."

Roberto Assaf

"Acho que o Rivaldo foi um jogador até injustiçado pela mídia e pelo torcedor. Porque foi uma figura de grande importância em 2002. Não coloco ele entre os 10 maiores que já vi jogar, porque eu vi a geração de ouro, campeões de 58, 62 e 70. Mas diria que em termos de Copa do Mundo, ele se destacou, porque ele participou com grande efetividade de um dos cinco títulos da Seleção.


                         Rivaldo ao lado dos companheiros de Seleção Brasileira (Foto: Arquivo/LANCE!)

Conquistou uma quantidade enorme de titulos na carreira, foi eleito melhor do mundo, teve boa passagem pela Europa. Acho que top 10 de todos os tempos é forte, mas com certeza ele faz parte de uma elite do futebol brasileiro.

É sempre ruim para um jogador, por mais craque que tenha sido, esticar a carreira até os 40 ou 42 anos. Porque é impraticável, você não consegue jogar bem mesmo que esteja em boa forma. Estava mais do que na hora de parar."

Guilherme Gomes

" Um dos maiores jogadores brasileiros das últimas décadas - e também da história do futebol brasileiro -, Rivaldo só não foi mais badalado por conta de sua personalidade discreta e introvertida. Fosse ele mais expansivo, mais cativante fora de campo, e teria sido ainda mais reverenciado. Mas nada disso apaga o que fez em campo. Sua fase no Barcelona - quem não se lembra daquele gol de bicicleta no Camp Nou? - foi brilhante. Na Copa de 2002, enquanto Ronaldo levava os louros, foi Rivaldo quem foi considerado por Felipão como o melhor da competição. Rivaldo foi um 'jogadorzaço'. Vai deixar saudades."