icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão
icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão
17/07/2013
06:14

A transferência de Samuel para o Espanyol (ESP) já estaria completamente sacramentada se não fosse um empecilho: o interesse do Fluminense em só liberar o jogador em dezembro. Este tem sido o grande entrave que pode atrapalhar a negociação com os espanhóis. Isto porque tanto as partes que trabalham pelo jogador quanto o próprio atacante já aceitaram a proposta salarial e o contrato de quatro anos. Mas o Tricolor ainda bate o pé para não perder, agora, o reserva imediato de Fred.

Nesta quarta-feira, a situação terá que ter um desfecho. O empresário de Samuel, Gérson Oldenburg, chega ao Rio de Janeiro para conversar com a diretoria do Fluminense e com o próprio jogador para dar fim ao imbróglio. O camisa 31 já acenou em aceitar a proposta, por se tratar de um grande centro europeu.

E MAIS
> Segundo site catalão, Samuel já se despediu dos companheiros de Flu
> Empresário de Samuel marca reunião com Flu para apresentar proposta
> Samuel é sondado, mas pedida alta do Fluminense emperra negociação

Além disso, todas as partes já se mostraram de acordo com os valores. Até mesmo o Fluminense parece acenar positivamente com o negócio, já que embolsaria cerca de R$ 5,5 milhões por 50% dos direitos econômicos. Porém, apesar do dinheiro ser muito bem-vindo, o Flu não quer mais perder peças de reposição. Este, inclusive, tem sido o discurso enfático da diretora.

Porém, os espanhóis já deram um ultimato ao Fluminense e caso a situação não seja resolvida até amanhã, o clube catalão irá desistir do negócio e direcionar seus esforços para outros jogadores observados para a posição.

Dos cerca de R$ 11 milhões que o Espanyol pretende pagar pelo jogador, Gérson Odelburg, dono de 40% dos direitos, levaria cerca de R$ 4,5 milhões, deixando o R$ 1 milhão restante para a Unimed, que detém 10%.

MAIS ALÍVIO PARA OS COFRES

Em caso de concretização do negócio, o Fluminense terá um alívio para os seus deficitários cofres. Como detém 50% dos direitos econômicos do jogador, o clube ficará com R$ 5,5 milhões na transação, que somam-se às vendas de Wellington Nem e de Thiago Neves.

Mesmo assim, o caso do atacante passa pelo mesmo problema das outras transações. O clube segue em silêncio sobre qualquer negociação, por estar atento ao risco de ter os valores penhorados pelo Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, como aconteceu na venda de Nem para o Shakhtar Donetsk (UCR).

FALTA DE OPÇÕES TRAVAM NEGÓCIO

Um dos principais motivos que fazem o Fluminense só querer liberar Samuel em dezembro para o Espanyol é a falta de opções no banco de reservas. Samuel é reserva imediato do goleador Fred. Caso a saída se concretize, o Tricolor ficará sem nenhuma opção para a posição, em momento que o clube vive uma crise financeira e não teria condições de repor a perda com uma contratação.

O próprio técnico Abel Braga já deixou claro que não pretende perder o jogador. Apostar em garotos da base, sem rodagem, para substituir Fred é considerada uma saída arriscada. A outra opção, o jovem Michael, está suspenso preventivamente pelo uso de cocaína, deixando Abel apenas com muitos garotos no elenco, como o jovem Biro Biro.

A transferência de Samuel para o Espanyol (ESP) já estaria completamente sacramentada se não fosse um empecilho: o interesse do Fluminense em só liberar o jogador em dezembro. Este tem sido o grande entrave que pode atrapalhar a negociação com os espanhóis. Isto porque tanto as partes que trabalham pelo jogador quanto o próprio atacante já aceitaram a proposta salarial e o contrato de quatro anos. Mas o Tricolor ainda bate o pé para não perder, agora, o reserva imediato de Fred.

Nesta quarta-feira, a situação terá que ter um desfecho. O empresário de Samuel, Gérson Oldenburg, chega ao Rio de Janeiro para conversar com a diretoria do Fluminense e com o próprio jogador para dar fim ao imbróglio. O camisa 31 já acenou em aceitar a proposta, por se tratar de um grande centro europeu.

E MAIS
> Segundo site catalão, Samuel já se despediu dos companheiros de Flu
> Empresário de Samuel marca reunião com Flu para apresentar proposta
> Samuel é sondado, mas pedida alta do Fluminense emperra negociação

Além disso, todas as partes já se mostraram de acordo com os valores. Até mesmo o Fluminense parece acenar positivamente com o negócio, já que embolsaria cerca de R$ 5,5 milhões por 50% dos direitos econômicos. Porém, apesar do dinheiro ser muito bem-vindo, o Flu não quer mais perder peças de reposição. Este, inclusive, tem sido o discurso enfático da diretora.

Porém, os espanhóis já deram um ultimato ao Fluminense e caso a situação não seja resolvida até amanhã, o clube catalão irá desistir do negócio e direcionar seus esforços para outros jogadores observados para a posição.

Dos cerca de R$ 11 milhões que o Espanyol pretende pagar pelo jogador, Gérson Odelburg, dono de 40% dos direitos, levaria cerca de R$ 4,5 milhões, deixando o R$ 1 milhão restante para a Unimed, que detém 10%.

MAIS ALÍVIO PARA OS COFRES

Em caso de concretização do negócio, o Fluminense terá um alívio para os seus deficitários cofres. Como detém 50% dos direitos econômicos do jogador, o clube ficará com R$ 5,5 milhões na transação, que somam-se às vendas de Wellington Nem e de Thiago Neves.

Mesmo assim, o caso do atacante passa pelo mesmo problema das outras transações. O clube segue em silêncio sobre qualquer negociação, por estar atento ao risco de ter os valores penhorados pelo Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, como aconteceu na venda de Nem para o Shakhtar Donetsk (UCR).

FALTA DE OPÇÕES TRAVAM NEGÓCIO

Um dos principais motivos que fazem o Fluminense só querer liberar Samuel em dezembro para o Espanyol é a falta de opções no banco de reservas. Samuel é reserva imediato do goleador Fred. Caso a saída se concretize, o Tricolor ficará sem nenhuma opção para a posição, em momento que o clube vive uma crise financeira e não teria condições de repor a perda com uma contratação.

O próprio técnico Abel Braga já deixou claro que não pretende perder o jogador. Apostar em garotos da base, sem rodagem, para substituir Fred é considerada uma saída arriscada. A outra opção, o jovem Michael, está suspenso preventivamente pelo uso de cocaína, deixando Abel apenas com muitos garotos no elenco, como o jovem Biro Biro.