icons.title signature.placeholder Felipe Domingues
11/02/2015
09:19

A partida dessa quarta-feira entre os espanhois Nicolás Almagro (82º) e Tommy Robredo (17º), no Aberto do Brasil, no Ginásio do Ibirapuera (SP), coloca frente a frente não apenas compatriotas, mas exemplos de recuperação.

Enquanto Almagro voltou a vencer uma partida após 279 dias, derrotando o esloveno Blaz Rola, e ainda mira um retorno à sua melhor posição no ranking, um nono lugar, Robredo já joga com a realidade, mirando apenas voltar bem.

- Me encontro muito melhor, ou nem teria vindo. Tive duras semanas em casa, tratando da minha lesão, mas estou feliz agora. Quero tentar o máximo de jogos possível, melhorar meu nível e pouco a pouco ver se estou bem - comentou, além de falar sobre uma volta ao 5º lugar da ATP, seu melhor ranking:

- Acho muito difícil. O que está claro é joguei em um nível muito bom no ano passado e quero voltar a isso. Vamos ver até onde posso chegar, mas o mais importante é atuar no máximo de partidas possível - disse.

No duelo entre Brasil e Espanha, pela repescagem da Copa Davis, no ano passado, foi cogitada a presença de Robredo que, à época, era o quinto melhor espanhol no ranking mundial. Para ele, faltou motivação para atuar no torneio, o que não parece ter retornado...

- Não estava preparado ou motivado o suficiente para atuar aqui. Optei por não ir. É um tema muito difícil, temos de estudar uma maneira para solucioná-lo, porque muitos dos tops não vêm. No nosso caso muitos não vieram e o Brasil estava em um bom momento. Não tenho mais intenção de jogar a Davis, mas vamos ver mais pra frente - completou.