icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/11/2013
08:07

Olá, Brasil. Continuo em Los Angeles, nos Estados Unidos, treinando fortemente para os desafios das próximas temporadas e para defender o Sesi-SP no último evento de 2013, o Open de Porto Alegre. Estou me preparando fisicamente e psicologicamente para alcançar meus resultados. A minha rotina inclui competições e treinamentos de segunda a sábado, dá até para encaixar treinos funcionais, que são cada vez mais usados pelos competidores. Mudar um pouco o ambiente e fazer intercâmbios é fundamental para a carreira de um atleta de alto rendimento.

Escolhi a sede dos Trojans, minha ex-equipe, para treinar. O mais legal de tudo é que tenho contato diário com atletas campeões como o tunisiano Oussama Mellouli e até com treinadores como Jon Urbanchek, o mesmo que ajudou o Gustavo Borges a chegar nas suas históricas conquistas. A estrutura é maior sim nos Estados Unidos do que no Brasil, mas a grande vantagem de nadar por aqui é a quantidade de atletas de alto nível.

Nesse período nos Estados Unidos fiz mais uma tatuagem (a terceira). Eternizei a prata olímpica de 2012 com a frase Veni, vidi, vici (vim, vi e venci), as coordenadas da piscina de Londres e o tempo de 4m08s86 em algarismos romanos. 2014 já está quase aí. Meu calendário terá eventos como o Pan-Pacífico e o Mundial de Piscina Curta de Doha, no Qatar. Vamos ver o que o Albertinho Silva, meu treinador, tem na manga!

Não posso deixar de comemorar a reabertura do Parque Aquático do Complexo do Maracanã, o famoso Júlio De Lamare. O local, depois de muita pressão da comunidade da natação, saltos e polo aquático, não foi abaixo para virar um estacionamento para a Copa do Mundo de 2014. Vamos agora trabalhar para que mais campeões saiam da piscina carioca.