icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/11/2013
11:31

O Ministério Público Federal (MPF) opinou para o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) que o atacante Emerson Sheik deve ser condenado por contrabando, pela importação ilícita de um carro BMW X6 em 2010. Protocolado na terça-feira (dia 12), o parecer da Procuradoria Regional da República da 2ª Região (PRR2) foi favorável ao recurso do MPF/RJ contra a absolvição do jogador pela 3ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, em agosto (apelação nº 20125101013660-5).

O L!Net errou ao publicar a informação de que o TRF2 já havia acatado a denúncia e mudado a decisão de inocentá-lo.
 
A Procuradoria discordou do julgamento de que não havia provas de que Emerson sabia que o carro importado era usado, o que caracteriza o contrabando. Na manifestação, a procuradora regional da República Silvana Batini identificou cinco ações atípicas do jogador: não fez transferência bancária para quem emitiu as notas fiscais, não mostrou comprovante de compra, ordenou cancelamento da nota fiscal do BMW em seu nome, manteve carro não emplacado por dois meses e vendeu-o sem preencher o Certificado de Registro de Veículos.

"Não se pode negar que houve fatos atípicos em negociações regulares", diz a procuradora regional Silvana Batini no parecer. "Somadas as circunstâncias, não há como se afastar a conclusão de que ele importou de forma consciente e voluntária a BMW, sabendo que era usada e, portanto, de ingresso proibido no Brasil."
 
Sobre a acusação de lavagem de dinheiro, no julgamento do processo na primeira instância, em agosto deste ano, o MPF/RJ pediu a absolvição do réu Márcio Albuquerque do crime de lavagem de dinheiro pelo qual foi denunciado inicialmente. Trinta pessoas participaram do esquema de contrabando e lavagem de dinheiro investigado pelo MPF e Polícia Federal na Operação Black Ops.

A acusação de contrabando foi feita pelo MPF com base em investigações da Polícia Federal, em conjunto com a Receita Federal, na operação chamada Black Ops, que prendeu uma quadrilha de criminosos brasileiros e israelenses.