icons.title signature.placeholder Fábio Suzuki
07/07/2014
09:30

Presente nas últimas cinco edições dos Jogos Olímpicos e nas últimas seis Copas do Mundo, a fabricante italiana de aparelhos de físicos Technogym é a fornecedora dos equipamentos utilizados por Neymar e companhia na Granja Comary. Em março, a pouco mais de dois meses para a Copa do Mundo começar, a companhia fechou um contrato de quatro anos com a CBF para disponibilizar os aparelhos aos jogadores da Seleção.

Neste Mundial, a empresa também teve seus equipamentos utilizados pelas seleções da Itália e da Rússia. Em entrevista para o Diário Lance!, o presidente da Technogym, Nerio Alessandri, comenta a atuação da companhia na Copa do Mundo e afirma que o mercado brasileiro é prioridade para a empresa nos próximos anos.

Qual a principal novidade entre equipamentos e serviços oferecidos para a Seleção Brasileira?
A Technogym tem muita experiência em grandes eventos esportivos onde estivemos presentes nas cinco últimas edições dos Jogos Olímpicos e em todas as Copas do Mundo desde o Mundial da Itália, em 1990. Por isso fomos escolhidos pela Seleção Brasileira para fornecer uma solução completa de preparação cardiovascular, de força, prevenção e recuperação tanto de cansaço físico pós jogo, como também em caso de lesões sofridas durante as partidas. Nós disponibilizamos o que há de mais moderno no mundo do fitness, onde destacaria o Kinesis Station, uma estação composta por três aparelhos que simulam os movimentos naturais, se adaptando aos gestos atléticos de cada jogador. Um sistema de cabo livre permite que o Kinesis seja muito versátil e possibilite realizar mais de 200 exercícios em apenas um metro quadrado. Diferentemente dos equipamentos tradicionais, que usam movimentos pré-constituídos, o Kinesis une força, equilíbrio e flexibilidade no mesmo movimento, simulando os gestos atléticos usados pelos atletas em campo.

Há quanto tempo a Technogym fornece equipamentos para a Seleção Brasileira?
Essa é a primeira vez que a Technogym tem uma parceria oficial com a CBF, mas a Seleção Brasileira já teve a oportunidade de treinar com nossos aparelhos na Copa de 2010, na África do Sul, e as Seleções que disputaram os Jogos Olímpicos de Sydney 2000, de Atenas 2004, Pequim 2008 e Londres 2012 também tiveram a chance de usar os equipamentos nas vilas olímpicas.

Há um contrato com a Seleção Brasileira? Qual o período?
Sim, quatro anos. Até 31 de março de 2018.

Como ocorreu o acordo da Technogym com a equipe brasileira?
Por um lado, a empresa aproximou-se da Seleção porque o mercado brasileiro é uma prioridade para a Technogym. Por outro lado, a Technogym foi escolhida pela Seleção graças à qualidade e o desempenho de nossos produtos e a tecnologia inovadora que oferecemos. A Technogym foi fornecedora oficial das últimas cinco edições dos Jogos Olímpicos e trabalhamos de perto com muitas equipes esportivas e atletas internacionais. Acredito que a experiência da empresa e a confiabilidade da marca no mundo dos esportes tem feito a diferença.

Ao todo, foram quantos equipamentos entregues para a Seleção Brasileira?
Montamos uma estrutura com mais de 50 equipamentos e acessórios de alta tecnologia para aperfeiçoar o treinamento da equipe. O espaço abrange uma área de aproximadamente 150 metros quadrados, onde a Seleção Brasileira tem não somente o apoio técnico, mas também de consulta médico-esportiva. No treino comum, os atletas são preparados tanto para jogar quanto para reduzir o risco de lesões. Sabendo da preocupação da equipe técnica com a segurança dos treinos, nós montamos, pela primeira vez, uma sala de regeneração com aparelhos como o Kinesis, para a recuperação pós-jogo. Esta é uma das novidades trazidas pela Technogym para ajudar no trabalho pós-jogo.

Em relação ao Kinesis Station, qual o valor desse aparelho utilizado pela Seleção no mercado?
Mais do que um produto, o Kinesis pode ser definido como uma disciplina. É uma inovação criada pela Technogym, que permite aos usuários moverem-se tridimensionalmente proporcionando resistência a cada movimento possível do corpo humano. O modelo utilizado pela Seleção faz parte de um circuito projetado especificamente para academias e clubes esportivos. O KinesisPersonal, uma versão dedicada para o uso doméstico e disponível para os consumidores tem preços a partir de US$ 24 mil dólares.

Quais foram os pedidos da delegação brasileira para o fornecimento de produtos para o trabalho físico dos atletas na Copa? Houve algum em especial?
Sim, houve alguns pedidos especiais e curiosos. A Itália, por exemplo, pediu que instalássemos nossas esteiras em uma sauna para que se preparassem para o clima quente e úmido de Manaus. O projeto da Seleção Brasileira ficou mais focado no Kinesis, para treinar força, equilíbrio e flexibilidade ao mesmo tempo.

Em relação ao último Mundial, em 2010, quais são as principais novidades na área?
Houve uma forte evolução no que diz respeito à reabilitação: de solução de problemas como lesões a um treinamento desenvolvido especificamente para prevenir e evitar lesões.

Qual o retorno pretendido pela empresa com o fornecimento do material para a equipe brasileira? Esse fato é explorado em ações de marketing?
Acreditamos que esta cooperação pode ser uma grande oportunidade em termos de branding e marketing. Além disso, atletas conhecidos podem inspirar as pessoas a melhorar seu estilo de vida e a adotar prática de atividade física regular. Faz parte da filosofia da empresa educar as pessoas sobre a importância dos exercícios físicos para sua saúde.

Há quanto tempo a empresa atua no mercado brasileiro?
A empresa tem distribuído seus produtos no mercado brasileiro há 15 anos. Em 2013, abrimos uma filial local para estarmos mais perto dos nossos clientes brasileiros e sermos capazes de fornecer uma solução total de Bem-Estar, que é feita não só de equipamentos de alto nível, mas também de serviços, programas, design, conteúdo, infraestrutura de tecnologia e aplicativos. Mais de 1.500 clientes utilizam equipamentos Technogym no Brasil e estes variam entre academias, estúdios, hospitais e clínicas de reabilitação, clubes, hotéis, empresas e consumidor final.

Quanto a Technogym investiu este ano para essa atuação no futebol?
Não revelamos números de investimos, mas podemos dizer que, devido à sua tecnologia única, a estratégia da Technogym não foi de patrocínio, mas um approach como “patrocinador oficial”. No campo dos esportes, a Technogym foca em projetos feitos sob medida para treinamento de atletas do que em projetos de marketing.