icons.title signature.placeholder Fábio Suzuki
09/06/2014
12:09

O número de comentários ou ‘tuítes’ que são feitos na página do Twitter está diretamente ligado ao que ocorre nos programas de televisão. E com a Copa do Mundo, um dos eventos esportivos mais vistos em todo o mundo, a expectativa da rede social é de bater todos os recordes obtidos até hoje. Na final da Copa das Confederações de 2013, entre Brasil e Espanha, a página alcançou 1,7 milhão de tuítes sobre o jogo.

E os brasileiros estão entre os usuários mais engajados na rede social. Na seleção do Twitter com os 11 jogadores mais mencionados em suas posições, a Seleção Brasileira conta com três representantes: o lateral Daniel Alves, o zagueiro David Luiz e o atacante Neymar. O camisa 10 do Brasil ocupa ainda a vice-liderança do ranking dos jogadores da Copa do Mundo com mais seguidores, somando 10,7 milhões. Ele só fica atrás do português Cristiano Ronaldo.

Nessa entrevista exclusiva ao Lance!, o diretor de desenvolvimento de mercados internacionais do Twitter, Carlos H. Moreira Júnior, fala sobre as expectativas da empresa com o Mundial e de como o Esporte está integrado à estratégia de atuação da rede social.

Como o Twitter está se preparando para a Copa do Mundo?
Nosso projeto Copa parte dos usuários, que têm uma série de hábitos durante os jogos, como críticas, comentários de quem vai bem ou mal, quem deve entrar e o melhor do jogo após a partida. A função do Twitter é facilitar essa conversa da forma mais simples e organizada para aumentar o engajamento por parte dos torcedores.

E como a companhia irá utilizar o evento para aumentar número de usuários e tuítes?
Essa iniciativa vem sendo feita de forma contínua. Em relação a Esporte, e mais especificamente futebol, procuramos fazer parcerias com seleções, empresas de mídia, cidades-sedes e a própria Fifa, sempre objetivando aumentar o número de conversas. O canal SporTV, por exemplo, pedirá opiniões dos telespectadores através do Twitter e a informação será mostrada em tempo real. É um tipo de integração com um canal de TV. Já pessoas famosas e ex-atletas serão convidados para dar entrevistas curtas antes dos jogos. Esses são alguns exemplos.

E em relação à CBF e a Fifa, como tem sido essas parcerias?
No dia da convocação da Seleção Brasileira, por exemplo, a última pergunta da entrevista coletiva foi feita por um usuário do Twitter. É uma forma de aproximar o torcedor da seleção. Já em relação à Fifa, será mais voltada a gerar conteúdo e imagens em eventos, como o Fifa Fan Fest e áreas VIP dos estádios. Mas nesse caso ainda estamos discutindo sobre quais ambientes poderão ser feitas imagens.

E quais os resultados pretendidos pelo Twitter com Copa do Mundo?
Esse Mundial já está sendo o evento mais tuitado no mundo. Esse é um ciclo natural, que de dois em dois anos ocorre com Copa do Mundo e Jogos Olímpicos. A Copa das Confederações, por exemplo, gerou cerca de 3 milhões de tuítes.

Como o Brasil está posicionado na estratégia global da companhia?
É um dos principais mercados no mundo para nós, com um usuário muito engajado. Posso dizer que está entre os cinco maiores mas não abrimos quais são esses mercados.

E qual o tamanho do Twitter hoje?
Chegamos à marca de 255 milhões de usuários em todo o mundo, com mais de 500 milhões de tuítes por dia. Ou seja, a cada dois dias, atingimos 1 bilhão de tuítes.

E como o Esporte se encaixa dentro desse mercado?
Em 2013, 50% dos tuítes sobre TV foi sobre Esporte. O Twitter tem três grandes características que são: ser uma ferramenta pública, em tempo real e que gera uma conexão rápida. E quando um jogo passa ao vivo na TV, há uma grande afinidade pela rapidez dos comentários. Dizemos que o Twitter é uma segunda tela junto à TV pois o que ocorre em um programa ou jogo é replicado em tuítes.

Voltando à Copa do Mundo, quais as novidades da companhia para o evento?
A partir dessa Copa, a relação do usuário com o Esporte será transformada. Será uma experiência nova e que continuará nas outras competições. Hoje esse usuário pode estar em casa, no bar ou até mesmo dentro dos estádios que ele continua participando das conversas.

Como o Mundial de futebol influenciou a atuação do Twitter no Brasil?
A economia do Brasil cresceu nos últimos anos e a chegado do Twitter no país foi uma coincidência em relação a esse cenário econômico. O investimento da companhia no Brasil aconteceu no mesmo momento desses grandes eventos. Desde que chegamos ao país, há 14 meses, já montamos um novo escritório no Rio de Janeiro, onde há sete pessoas gerando conteúdos, principalmente sobre a Copa. E em São Paulo, essa equipe é de 40 colaboradores.