icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
10/06/2014
10:02

A cerimônia de inauguração de vias de mobilidade próximas ao Castelão, em Fortaleza (CE), aconteceu no último sábado. No entanto, operários ainda trabalham nos locais em jornada exaustiva para finalizar obras já entregues pela Prefeitura - e inacabadas a cinco dias da primeira partida Copa no estádio, sábado, entre Uruguai e Costa, pelo Grupo D, às 16h.

O principal setor que demanda trabalho é a Avenida Paulino Rocha, bem próximo ao Túnel Jornalista Demócrito Rocha Dummar, liberado para trânsito de veículos no fim de semana passado, com a presença do prefeito Roberto Cláudio (PROS) e do governardor Cid Gomes (PROS).

Nesta segunda, uma das faixas de um dos sentidos da avenida estava interditada para que os trabalhadores pudessem fazer o revestimento da estrutura de uma rotatória com placas metálicas para encobrir a terra.

Segundo relatos colhidos pelo LANCE!Net, as tarefas podem durar até 16 horas por dia nesta semana.

- Nós trabalhamos aqui até não aguentar mais. Chegamos às 8h e, dependendo do dia, vamos até meia-noite. Nosso trabalho é pacote fechado, então não tem hora extra - explicou um funcionário da empresa terceirizada Novas Técnicas de Construção (NTC) que pediu anonimato.

Os colaboradores acreditam que tudo estará pronto para o Mundial, mas fazem ressalva sobre o uso político das instalações às vésperas do torneio internacional.

- Não sei o que o prefeito e o governador vieram fazer aqui no sábado, sendo que nós ainda temos muito trabalho a fazer - acrescentou outro colega.

Este grupo da NTC, composto por sete homens, recebe R$ 14 por metro quadrado e divide o valor igualmente entre os membros. Eles não souberam informar a área total em que trabalham.

Homens trabalho na Avenida Paulino Rocha (Foto: Caio Carrieri)

A Avenida Alberto Craveiro, uma das principais rotas de acesso ao Castelão, também passou por um processo de requalificação. Foi alargada de duas para quatro faixas nos dois sentidos e ganhou canteiros centrais com ciclovias. O meio-fio ainda passa por acabamento de pintura.

Somando as obras da Avenida Alberto Craveiro (R$ 28,6 milhões), da Avenida Paulino Rocha (R$ 19,5 milhões), da rotatória e do Túnel Jornalista Demócrito Rocha Dummar (R$ 38,4 milhões os dois últimos), os custos totais foram de R$ 86,5 milhões. As cifras foram desembolsadas pela Tesouro Municipal, Governo do Estado e Caixa Econômica Federal.