icons.title signature.placeholder Rodrigo Ciantar
21/12/2013
17:16

Em 2013, Marlone viveu a melhor temporada da carreira. Conseguiu ganhar espaço no time principal do Vasco, virou titular absoluto e acabou sendo comprado pelo Cruzeiro, atual campeão brasileiro. Enquanto isso, o irmão gêmeo dele, Marlon, ainda busca espaço no mundo da bola e sequer sabe qual clube defenderá no ano que vem.

Marlon é idêntico a Marlone. Do porte físico ao corte de cabelo. Em campo, eles também têm características parecidas. Falta "apenas" o mesmo sucesso.

- O Marlone tem um arranque mais forte do que o meu e facilidade no drible. Eu pego mais, marco mais do que ele. Mas de resto, somos bastante parecidos. No toque de bola, na batida para o gol. Eu já atuei como volante, lateral-direito, mas me sinto melhor na meia, mais próximo ao gol - disse Marlon.

LEIA MAIS:
> Dedé quer jogar a Copa-2014 diz que sempre torceu pelo Vasco

Mesmo ainda buscando seu espaço, ver o irmão brilhando, apontado como uma das principais joias do futebol brasileiro, deixa Marlon confiante de que seu momento também chegará brevemente.

- Ver meu irmão assim só me deixa mais confiante, motiva ainda mais. Ele vem se destacando e conquistando aquilo que sempre sonhou. Agora só me resta trabalhar e também conquistar meu espaço. O Marlone me orienta bastante também, está sempre me ajudando. É um espelho para mim. A vitória dele é a minha vitória também - contou.

Marlon, à direita, ao lado do irmão Marlone em uma pelada com amigos (Foto: Divulgação)



Marlon e Marlone se enfrentaram uma única vez. Foi no Campeonato Carioca de juniores do ano passado. Marlon levou a melhor e marcou os dois gols da vitória por 2 a 1 do Olaria sobre o Vasco. Tal feito foi a realização de um sonho. Mas, agora, ele almeja atuar ao lado do irmão.

- Teve esse jogo só, em 2012. Eu levei a melhor, fiz dois gols e vencemos. Agora, sonho chegar a um clube grande e atuar ao lado dele. Nós sonhamos muito com isso - lembrou o atleta do Olaria.

Ainda em busca de um lugar ao sol, Marlon vive uma fase de indefinição. Está participando da pré-temporada com o Olaria, mas tem contrato somente até janeiro de 2014 e não sabe se renovará:

- Estou treinando, mas o contrato já está terminando. Vamos ver o que vai dar. Já ouvi alguns boatos, mas estou esperando para saber.

O futebol é a grande paixão dos irmãos. E foi ela que os uniu. De família humilde, Marlon e Marlone foram separados ao nascer e criados em lares diferentes, no Piauí. Na adolescência, até tiveram um rápido reencontro, mas foi em 2010 que realmente voltaram a ficar unidos.

Naquele ano, Marlon ganhou uma chance de fazer um teste no Olaria. Saiu do Piauí para morar no Rio com Marlone, que já defendia o Vasco. A partir daí, passaram a dividir o mesmo teto, algo que haviam sido impedidos de fazer até então. Agora, falta somente dividir o mesmo espaço de campo.

- Todo jogador almeja o sucesso e tenho a convicção de que um dia vou jogar com o meu irmão no mesmo time - garantiu Marlon.

DESCOBRIDOR DE MARLONE DIZ: 'MARLON É TÃO BOM QUANTO'

Ercy Rosa descobriu Marlone. Foi quem organizou uma peneira no Maranhão que acabou resultando na ida do jovem atleta para o Vasco. Mas o profissional também conhece de perto Marlon e acredita que ele também tem condição de brilhar no mundo da bola.

Para Ercy, o grande problema é que Marlon só começou a treinar profissionalmente já aos 18 anos de idade. Por isso ainda precisa de um tempo para aperfeiçoar algumas coisas.

- O Marlon é idêntico ao irmão. O Marlone tem até mais técnica, mas o Marlon também tem muitas qualidades. Tem alguns defeitos que precisam ser corrigidos. Mas isso porque começou a treinar em clube profissional só aos 18 anos, bem depois do Marlone - contou Ercy.

Além de descobrir Marlone, foi Ercy quem conseguiu que Marlon fizesse o teste no Olaria, em 2010:

- Ele veio ao Rio, fez o teste e logo foi aprovado. Qualidade o Marlon tem e pode também virar um grande profissional.