icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/03/2014
22:57

O estilo foi de Libertadores. A classificação para a final do Campeonato Gaúcho, algo que não acontecia há dois anos, veio em uma partida daquelas "pegadas". Um jogo clássico de Gauchão, no senso-comum. Algo, porém, que incomoda o técnico Enderson Moreira. O comandante do Grêmio não gostou do que chamou de violência do Brasil de Pelotas na noite desta quarta, na Arena, na vitória gremista por 2 a 1.

O duelo teve momentos tensos desde o primeiro tempo. Gremistas e xavantes se empurravam a cada falta marcada por Fabrício Neves Corrêa no gramado. Entradas fortes de ambos os lados. Muita reclamação dos xavantes após o jogo, por conta do gol de Luan. A reclamação era de que o atacante havia utilizado o braço para interromper o chute do zagueiro do Brasil.

- Confesso que o Brasil fez uma grande campanha, esperava que pudesse nos enfrentar aqui como jogou os outros jogos. Hoje, não achei isso. Foi um jogo violento, fiquei chateado com a maneira que o jogo se desenvolveu. Temos que procurar jogar futebol. Muita gente fala que Gauchão é assim. Não, foi assim. Não vi (lance do Luan), não posso falar. Se for fazer uma lista de reclamação, vou confessar que a equipe do Brasil poderia acabar com nove ou oito jogadores - destacou o técnico Enderson Moreira.

Na parte final do jogo, o Brasil descontou em uma cabeçada de Gustavo Papa. E tentou o empate com inúmeras jogadas de cruzamento. Enderson Moreira afirma que o Tricolor não correu tantos riscos assim e ressaltou que sua equipe não quis "administrar" o jogo depois do 2 a 0. Por isso, o Brasil chegou ao seu gol.

- A dramaticidade foi pelo gol. Ganhando o jogo de 2 a 0 e eles esperavam um erro nosso. Conseguiram o gol em jogada de cruzamento. E daí qualquer bola no meio-campo vai para a área e tem se a impressão de um jogo dramático. Mas a equipe foi merecedora, entramos para jogar futebol em um bom nível - avaliou o treinador.