icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/02/2015
01:13

Após o empate sem gols com o Mogi Mirim na noite desta quarta-feira, pela segunda rodada do Paulistão, o discurso de alguns jogadores do Santos foi de que o resultado fora de casa não foi ruim. A visão do técnico do Peixe, Enderson Moreira, vai mais além. Na análise do treinador, mesmo sem ter vencido, o time mostrou que pode evoluir e o deixou otimista.

- A equipe vai crescer muito durante a competição. Alguns times podem largar na frente por terem mantido o elenco, criado uma identidade de jogar. No primeiro tempo fomos aquém do que fizemos contra o Ituano. No segundo tempo fizemos o que fizemos contra o Ituano. Dos quatro tempos até aqui, fomos bem em três. O importante é que a equipe ajustou o comportamento. Isso é um indício muito bom - analisou após a partida.

Enquanto Chiquinho, Thiago Ribeiro e Robinho criticaram o gramado do estádio Romildão, Enderson ressaltou outro ponto que, segundo ele, não colaborou para que as duas equipes desempenhassem um bom futebol: a iluminação. Em suas palavras, a falta de claridade foi vilã das defesas, principalmente nos cruzamentos.

- A iluminação ficou muito baixa. Não é crítica ao Mogi, mas criou dificuldade para as duas equipes. Bola cruzada na área era quase impossível de enxergar. O posicionamento, talvez por ser muito baixo, no momento em que a bola é cruzada, pode ter criado algum tipo de dificuldade. Para ambas as equipes. Sempre dá para melhorar - explicou o treinador.

Depois de discorrer sobre o próprio time e sobre os pontos contra o local de jogo, foi a vez do Sapão receber os elogios. E não foram poucos.

- O Mogi é um time maduro, sabe o que quer dentro de campo. Jogando nos seus domínios, criou uma forma de jogar interessante, dificulta muito para os adversários - finalizou.

O próximo desafio do Santos é no domingo, contra o Red Bull, às 17 horas, em São José do Rio Preto.