icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/07/2014
10:26

O jejum é longo. São treze anos da última conquista de relevância, a Copa do Brasil de 2001. Com os minutos sem uma taça no armário, a pressão aumenta cada vez mais. O técnico Enderson Moreira é um refém de tal situação. Mesmo com o time vencendo, críticas pulalam até mesmo de dirigentes da atual gestão, como o vice-presidente Nestor Hein. Alheio a tal situação, o comandante gremista mira deixar um legado, caso seja retirado do cargo, que aproxime as conquistas do Tricolor novamente.

Em entrevista para a Rádio Gaúcha, durante a semana, afirmou que o trabalho de Enderson Moreira passará a ficar insustentável se o Tricolor perder o Gre-Nal do próximo dia 10. Ao ser questionado sobre o fato, Enderson não aparentou grande irritação. Apenas afirmou que está acostumado a viver sobre pressão.

- Não sabia que minha responsabilidade tinha aumentado agora. Não me avisaram. Responsabildiade do treinador é a partir do momento que pisa no clube. Ninguém vai aliviar. Tem que estar preparado, no momento bom e ruim. Não existe sucesso eterno e fracasso eterno. Importante é levantar das situações e não se empolgar quando o sucesso está próximo. Me preparei para esses momentos. É sempre pressão por vitórias, não faço projeção para futuro. O contrato é renovado a cada jogo - disse o treinador gremista.

Enderson assumiu o Grêmio como vice-campeão brasileiro, após a temporada de 2012 ter tido Renato Gaúcho no comando no segundo semestre. O atual técnico afirma que quer, mesmo, é deixar o time e o elenco melhor do que quando chegou. Fatalmente, terá participação, assim, em uma conquista. Mesmo que não esteja mais no comando.

- Sabíamos das dificuldades quando assumimos. Me comprometo a fazer o melhor possível para o Grêmio. A partir do momento que o clube desejar uma troca, eles têm a autonomia, é decisão deles. Procuro deixar o clube em uma condição melhor com a que encontramos, é meu objetivo maior. Isso faz o Grêmio ficar mais perto de títulos na sequência e acho que o trabalho está sendo feito - resumiu Enderson.

O Grêmio é sétimo colocado com 19 pontos, um abaixo do vice-líder Corinthians. Fluminense, Atlético-PR, São Paulo e Internacional mantêm a mesma pontuação dos gremistas. O duelo com o Coritiba, neste domingo, pode marcar o retorno das vitórias como mandante - há dois jogos o Tricolor não ganha.