icons.title signature.placeholder Rafael Sandrão
24/12/2013
12:12

A Seleção Brasileira feminina de handebol foi umas das mais faltosas e violentas do Mundial. Com sua defesa firme e bem postada, a armadora Deonise Cavaleiro foi uma das principais atletas da muralha brasileira durante a campanha do título mundial.

A atleta do Hypo Nö, da Áustria, afirmou que a equipe encontrou uma maneira de diferenciar seu jogo e conseguiu fazer frente aos principais times europeus.

- O Morten sempre nos cobrava uma identidade. Isso foi o fator fundamental. Hoje a nossa identidade é a defesa. Durante a partida o Morten (técnico da Seleção Brasileira) dizia: "Bate muito. Bate mesmo." Sempre respeitamos as adversárias, mas jogamos duro - comentou.

Poucos acreditavam

Eleita melhor goleira do Campeonato Mundial de Handebol, Bárbara Arenhart disse que a equipe ouviu muita "besteira" antes das partidas, e que poucos acreditavam no potencial do grupo brasileiro.

- Fomos desacreditadas para a Sérvia. Antes dos jogos ouvimos muita besteira, mas mantivemos os pés no chão. O título foi uma surpresa sim e com muito mérito da nossa equipe - finalizou.