icons.title signature.placeholder Lucas Faraldo
20/02/2015
08:01

De renegado a peça-chave, Jadson renasceu no Corinthians e, ao lado de Tite, já lembra bastante o meia recém-chegado do São Paulo ao Parque São Jorge em fevereiro de 2014. Preterido pelo então alvinegro Lodeiro no início deste ano, o camisa 10 viu a concorrência abrir caminho e, agora nos braços do técnico corintiano, volta a brilhar como garçom do Timão.

Em sete jogos pelo Corinthians neste ano, Jadson já deu cinco passes que resultaram diretamente em gols. A média, em 2015, é de 0,71 assistências por partida. Na temporada passada, foi de 0,34 passes para gol por jogo (12 assistências em seus seis primeiros meses no Timão e apenas outras três no resto do ano). De qualquer forma, seja em 2014, seja em 2015, o meia foi (e é) o líder da equipe nesse quesito.

Em meio a sua rápida adaptação ao Corinthians no começo do ano passado, ele ganhou fama com o apelido de "Magic Jadson". A brincadeira é uma referência ao armador Earvin Johnson, que fez história pelo Los Angeles Lakers e pela seleção americana de basquete entre as décadas de 1970 e 1990. Na ocasião, o americano foi chamado de "Magic" por conta de sua criatividade na hora de assistir seus companheiros.

– As coisas estão dando certo, mostro que posso ajudar na marcação. Tenho dado assistências aos companheiros nesse início de ano – afirmou Jadson, à ESPN Brasil, poucas horas após anotar um gol e dar uma assistência no Majestoso válido pela Copa Libertadores.

A camisa do Magic Jadson em 2014 feita pelo torcedor Rafael Prestes (@prestesrafael)

O bom momento vivido por Jadson no Corinthians tem relação com Tite. O treinador foi um dos principais responsáveis por impedir a saída do camisa 10 para o Flamengo no começo do ano. No clássico dessa quarta, contra o São Paulo, o comandante fez questão de correr para cumprimentá-lo após seu gol. O carinho foi retribuído em forma de palavras:

– Tite tem esse jeito explosivo e estamos acostumados com sua forma de trabalhar. Nesse pouco tempo, digo que ele é sensacional. Ali no lance, ele ficou feliz com o gol e saiu na comemoração. Ele está feliz com a equipe, pois todos estão se esforçando ao máximo. Tite quis extravasar aquela alegria dele – explicou o jogador do Timão.

– Estou entendendo a forma do Tite trabalhar. Ele explica tudo, é muito claro no que ele quer. Ele sabe levar os jogadores. A equipe entende e continuamos dessa maneira, jogando bem. Sabemos que podemos ir longe – acrescentou.

Não há mágica para saber se Jadson se firmará como "Magic". Mas o início de 2015 promete...

Tite foi até Jadson para festejar gol no clássico (Foto: Ari Ferreira/LANCE!Press)

RELEMBRE A 'MONTANHA RUSSA' DE JADSON PELO CORINTHIANS

Começo mágico
Após sair do São Paulo pelas portas do fundo, trocado por Pato, Jadson chegou ao Corinthians em fevereiro de 2014 a pedido do então técnico Mano Menezes. Ele estreou contra o Palmeiras e em seu segundo jogo, contra o Oeste, pelo Campeonato Paulista, fez um gol e deu passe para outro. Nos seis primeiros meses, deu 12 assistências e fez os oito gols que marcou pelo clube naquele ano.

Cartola sem coelho
Passada a Copa do Mundo, Jadson iniciou um processo de decadência no Timão. Lodeiro foi contratado do Botafogo e, com o passar dos meses, o camisa 10 foi preterido por praticamente todos os meias do elenco de Mano Menezes – Petros, Danilo, Renato Augusto e o meia uruguaio. No segundo semestre, foi titular em apenas 14 de um total de 26 jogos da equipe.

Fla: a carta na manga?
A expectativa de novas chances como titular sob comando de Tite foram, ao menos no começo, frustradas. O treinador, ao longo da pré-temporada, esboçou uma formação com Lodeiro no time principal. Chateado, Jadson entrou na mira do Flamengo e quase foi parar na Gávea. A venda do uruguaio para o Boca Juniors (ARG), porém, abriu vaga para o camisa 10. E então...

Como passe de mágica
Na estreia do Paulistão, às vésperas dos decisivos jogos contra o Once Caldas pela primeira fase da Libertadores, coube a Jadson substituir o recém-negociado Lodeiro. Ele jogou bem e deu uma assistência na goleada por 3 a 0 sobre o Marília. De lá para cá, foram outros três jogos como titular: uma assistência em cada, além de um gol sobre seu ex-clube.

Jadson foi capa do LANCE! no dia 26/2/2014 (Foto: Reprodução/L! Digital)